Início » Brasil » A ‘abertura’ e a Joia do Caribe
Coluna Esplanada

A ‘abertura’ e a Joia do Caribe

A celebrada reaproximação oficial entre Estados Unidos e Cuba foi comemorada por Obama e Raúl Castro, mas a ‘abertura’ não envolve o bloqueio econômico

A ‘abertura’ e a Joia do Caribe
Porto de Mariel, considerado a Joia do Caribe (Fonte: Reprodução/Odebrecht)

A celebrada reaproximação oficial entre Estados Unidos e Cuba foi comemorada por Obama e Raúl Castro, mas a ‘abertura’ não envolve o bloqueio econômico. Mas há dois motivos puramente econômicos na gentilidade dos americanos. Considerado a Joia do Caribe, o Porto de Mariel — que acaba de ser erguido com verba do Brasil, via BNDES e até com doação — será o maior entreposto comercial marítimo e a melhor rota para a Europa e Ásia. E o presidente russo, Vladmir Putin, acaba de perdoar uma dívida de US$ 35 bilhões do regime, além de anunciar investimentos de US$ 3,5 bilhões na ilha. Ou seja, os EUA não querem perder para a Rússia a operação de Mariel.

Logo a quem…

A decisão dos EUA de restabelecer relações começou com uma grande jogada de Raúl. Ele ofereceu a operação do porto aos americanos, mas depois convidou o concorrente.

O enviado

Os yankees enviaram o presidente da Câmara de Comércio dos EUA, e Raúl, esperto, na semana seguinte recebeu o presidente russo Vladmir Putin e ofereceu o mesmo.

Leilão escancarado

A Coluna cantou na edição de 4 de junho, Raúl leiloa entre Rússia e EUA o porto, e o final desta história pode ser um mico para o governo do Brasil: pagou e não levou.

Mi$tério

Aliás, é ainda mistério: além do financiamento do BNDES para o porto, o Ministério do Desenvolvimento, sob comando de Fernando Pimentel (PT), doou R$ 240 milhões!

Quase encrenca

O novo Código Penal, em apreciação em comissão especial no Senado, deixaria a presidente Dilma mais uma vez na mira da bancada evangélica sobre o aborto. O texto previa autorização para o médico decidir pelo aborto em ‘caso de risco à saúde da mulher’ e não apenas em risco à vida, como determina hoje a lei.

Recuo

Se passasse assim, o texto daria brecha jurídica para várias interpretações, e causaria muita polêmica. Alertado pelos parlamentares, o relator Vital do Rêgo (PMDB-PB) recuou e excluiu o trecho.

Crescendo…

O Grupo Ser Educacional, do Norte do País, que comprou a Faculdade de Guarulhos (SP), teria como sócio um fundo americano de investidores, que tem no seu conselho o ex-presidente Bill Clinton. Procurada, a assessoria do grupo não se manifestou.

…No Brasil

O ex-presidente americano inclusive fez palestras em duas faculdades do grupo, em Manaus e Belém, em 2010. O conglomerado anuncia ter 148 mil alunos inscritos.

CPMF, a volta

O governo federal está trabalhando para o retorno da CPMF, o velho conhecido imposto do cheque e também da CIDE, tarifa da gasolina. O deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) é quem coloca a boca no trombone.

É oficial

‘Acabo de ser procurado por um deputado do PT para assinar projeto de iniciativa da Câmara. Além de tudo, o governo não tem coragem de bancar a proposta. E o pior é que o ex-presidente Lula sairá em campanha pela aprovação’, entrega Goergen.

Efeito Petrobras

A Polícia Nacional da Bolívia deflagrou operação e prendeu quatro de seis suspeitos de corrupção na estatal petroleira YPFB — também parceira da Petrobras na venda de gás. A Justiça pede 12 anos de prisão para os envolvidos no esquema.

Lá, como cá

Os funcionários detidos são apresentados pelas iniciais S.C., Y.B.E., L.A.B.C. e G. A. T. O governo de Evo Morales nega ingerência no caso para proteger os funcionários, mas acompanha a situação de perto.

Av. Sarney

Mal ele se aposentou e já ‘mataram’ José Sarney. A prefeitura de Arame (MA) lançou a pedra fundamental da Avenida que levará o nome do senador. Homenagens deste tipo, por lei, são in memoriam.

Sistema S

Tramita na Câmara requerimento do deputado Ataídes Oliveira (PROS-TO) que requer uma devassa no Sistema S – Sesi, Senac, Sebrae.

Ponto Final

As voltas que a história dá: EUA e Cuba ficaram afastados por causa da Rússia e estão se reaproximando por causa do país asiático.

1 Opinião

  1. Joma Bastos disse:

    Se os EUA não querem perder para a Rússia, ou para a China a operação de Mariel, então certamente terá que existir um desbloqueio econômico.
    A Russia está em plena crise econômica e com sanções por parte da UE e dos EUA, portanto com capacidade de reação muito reduzida. A China, essa sim está com plena capacidade de expansão econômica.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *