Início » Brasil » A conta não fecha
Coluna Esplanada

A conta não fecha

Planalto não consegue quitar a fatura com a base governista e coloca em risco o ajuste fiscal

A conta não fecha
Temer fez promessas em nome do governo, mas o caixa apertado travou o andamento (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Chegada a hora de pagar a conta, o Planalto não consegue quitar a fatura com a base governista e coloca em risco o ajuste fiscal. O vice-presidente Michel Temer prometeu em nome do governo cargos em estatais, liberar restos a pagar de emendas dos deputados veteranos e soltar as emendas dos deputados novatos, mas o caixa apertado travou o andamento. Nada disso ainda aconteceu, reclamam parlamentares do PT e do PMDB — partido do vice. E para muitos deles, o Ajuste Fiscal não salva o Governo.

À mesa

Governistas terão outra rodada de negociação ainda nesta semana com Temer e o ministro Eliseu Padilha, da Aviação e também articulador, para destravar a demanda.

Grita no cais

O PMDB do Rio de Janeiro pediu a Temer o controle da companhia Docas. Parte do PMDB e em especial o PSB controlam o porto de Santos.

Começou 2018

Governador de SP, o tucano Geraldo Alckmin iniciou agenda nacional de olho em 2018. Passou ontem na Câmara para debate sobre pacto federativo, num festival de bajulação.

Bloqueio na MP

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já fechou com o colega Fábio Sousa (PSDB-GO) e vai dar prioridade a uma PEC que o deputado protocola hoje, que limita em 12 o número de Medidas Provisórias da Presidência da República. Esse ano já foram 4, e somaram 39 editadas pela presidente Dilma no decorrer de 2014.

Pela pauta

FHC e Itamar usaram da caneta para MPs, mas Lula e Dilma abusaram, contam no Congresso. Os governistas fecham os olhos para evitar mal estar com o Planalto. ‘Isso atrapalha muito a pauta do Congresso, que fica amarrado’, critica o deputado Fábio.

‘Contrabando’ ficou

Na gestão de Henrique Alves na Câmara houve esforço para mudar o regimento a fim de evitar que a farra das MPs atrapalhassem a pauta. Entre as medidas, proibiu-se o ‘contrabando’ — nome da emenda incluída na MP sem ligação com o texto original.

Só assim

O ‘contrabando’ continua. Foi um deles incluído numa MP há duas semanas que deu aval para a Câmara abrir caminho para a construção de novo anexo e do shopping.

Brizola redivivo

Geraldo Alckmin disse na Câmara que governar é ter prioridades. Copia Leonel Brizola, que citava essa máxima quando governador — governar é escolher prioridades.

Revitalização

O governador Flávio Dino, do Maranhão, reinaugura praça reformada e bem iluminada no abandonado centro histórico de São Luiz na primeira fase da restauração da região. Já era tempo. Em 2011, um investidor desistiu de abrir hotel ali e vendeu barato dois sobrados na Rua Portugal. Comprou casa em Estoril, onde abre um hostel.

Fundo explica

Começou disputa nos partidos pelo comando dos seus institutos. Luiz Carlos Hauly (PR) perdeu batalha no PSDB para José Aníbal (SP), que vai presidir o Instituto Teotonio Vilela. No bojo está o grande aumento do fundo partidário — que repassa parte da verba para os institutos realizarem estudos, seminários e pesquisas.

Fé & Justiça

A Igreja Católica luta para conseguir a tempo, no STF, direito de apresentar Ação Direta de Inconstitucionalidade para alguns casos. Quer participar ativamente dos debates nos casos que a corte julgará sobre drogas, aborto e ensino religioso — este em agosto.

Linha aberta

A Câmara instala hoje comissão especial para analisar as propostas apresentadas pelo Grupo de Trabalho que vai mudar a Lei Geral de Telecomunicações. Há pelo menos cinco projetos, e o foco é a tributação e o direito do consumidor.

Mais pacto

Do deputado Sérgio Souza, que participa do debate: ‘O pacto federativo vai se tornar a principal pauta do Congresso porque há uma caixa de ressonância: há pressão da base, e o Governo não vai querer perder receita’.

Livro proibido

Uma editora com contrato com a rede de ensino de Florianópolis foi condenada por citar numa obra o link de um site pornográfico. A menor de 11 anos foi flagrada pelos pais.

Ponto Final

Após o escândalo das contas secretas o HSBC vende sua operação no Brasil e ficar por isso mesmo? Não adianta sair de fininho. Receita neles!

Com Equipe DF, SP e Nordeste

2 Opiniões

  1. vitafer disse:

    Crise de vergonha na cara.

  2. Joma Bastos disse:

    Estamos em uma profunda crise política, econômica e social!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *