Início » Brasil » A introdução do ‘Robocop’ é um grande equívoco
Policiamento em protestos

A introdução do ‘Robocop’ é um grande equívoco

Tortura deixará os porões para causar dor à luz do dia

A introdução do ‘Robocop’ é um grande equívoco
Nova 'armadura' do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) pesa dez quilos (Divulgação)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Toda essa publicidade para exibir o “Robocop da PM” serve para mostrar o quanto estamos despreparados para ouvir o clamor das ruas e de conviver com o contraditório.

Novo uniforme para proteção de policiais esconde seus rostos (Reprodução/OGlobo)

Em vez de atender aos anseios da população nos quesitos saúde, transporte e educação – que levaram milhares de pessoas às ruas desde junho passado — os governos gastaram fortunas para armar seus policiais e caminhar na contramão das novas regras, que não permitirão que se use máscaras durante protestos de rua.

O policial mascarado – travestido de herói do cinema – terá carta branca para aplicar choques elétricos e golpes de lutas marciais no primeiro Zé Mané que cruzar a sua frente. A introdução do “Robocop” é um grande equívoco e vai aumentar o tom da violência nas manifestações de rua. Ao se armar cada vez mais contra a população, a força de repressão vai estimular o revide — como na lei da ação e da reação (ou da causalidade) descrita por Newton que diz que toda ação provoca uma reação de mesma intensidade e direção, mas em sentido oposto. Foi o que ocorreu há alguns dias na Ucrânia: Estado e população trocaram tiros, explosivos e bombas incendiárias – deixando dezenas de mortos e um presidente foragido. A Venezuela de Maduro segue pelo mesmo caminho.

Qualquer semelhança com o Robocop do novo filme de José Padilha não é mera coincidência (Divulgação)

Triste ver que uma pessoa blindada desse jeito estará blindada também para causar danos físicos e morais em terceiros sem ser identificada – com a conivência do Estado. É a evolução das sessões de tortura – que deixarão a caserna e os subsolos dos tempos do regime militar – para causar dor e sofrimento em plena luz do dia, mantendo impunes seus autores.

Difícil imaginar que uma ideia dessa tenha saído da cabeça de governantes que se dizem democráticos e, muitos deles, vítimas do regime militar.

 

 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

16 Opiniões

  1. azambuja disse:

    Não entendi qual a relação do “Robocop da PM” com o regime militar. Achei o artigo uma tremenda babaquice!

  2. Atilio Peter disse:

    Ingenuidade ou dissimulação? Difícil decidir o que está por trás desse artigo… mas a resposta de um policial seria óbvia: que o autor vá no lugar dele a uma dessas manifestações-arruaças e descubra na prática que pimenta nos olhos dos outros é refresco.

  3. Henrique O. Motta disse:

    Estamos de volta aos dias do governo policial tão criticado pelos atuais governantes do PT. Aliás, jamais quiseram um estado liberal e democrático, pois este não é mesmo o perfil dos Lulas e Zés da vida. Mas francamente, de quem se alinha a Cuba, Venezuela, Argentina, Bolívia, Iran, todos governos totalitários em que a liberdade política na verdadeira acepção da palavra não existe e não existirá enquanto tais governantes perdurarem, não se poderia mesmo esperar nada melhor. Viva Chico Buarque, Gil, Caetano e outros tantos artistas desatinados (mas vivendo com todo o conforto e bebendo o melhor aguardente escocês (ao invés da popular cachaça), todos palatinos destes que hoje reprimem.

  4. Wellington Gomes disse:

    Tem que reprimir mesmo. Não puseram os governantes lá? Agora agueentem!

  5. Marisa Motta disse:

    Excelente artigo. Parabéns, Claudio Carneiro.

  6. Mauricio disse:

    O articulista acerta na mosca.
    Confrontados com as manifestações populares, que protestaram pela melhoria da qualidade dos serviços públicos oferecidos, os governantes reagem aumentando a “musculatura” policial.
    Não entenderam nada! E repetem o de sempre: descem o cacete.
    Parabéns pelo artigo.

  7. Henrique Motta disse:

    Pela forma utilizada para manifestar-se não é de admirar que não tenha mesmo “entendido”. Mas, temos o espelho da grande maioria da população brasileira que tanto quanto o Lula não sabe, não viu e não entendeu. Pobre país o nosso.

  8. Sandro L B disse:

    Parabéns ao artigo
    nada há de esperar dos Petralhas
    assim o Estado não gastará com futuros processos aos policiais por espancamento
    ninguém os conhecerá
    spray de pimenta em quem protestar e granadas de borracha serão o mote atual

  9. Áureo Ramos de Souza disse:

    Voltamos as guerras Gregas e Troianas e do outro lado Catapulta. É o que vai acontecer os Robocops enfrentando os manifestantes que irão também preparados e agora muito mais depois de saber qual a preparação deste desgoverno com seu povo que não pode se manifestar contra os erros que vem ocorrendo há mais de uma década.

  10. Mauricio Fernandez disse:

    Bem….., então agora todo mundo vai conseguir fazer seu protesto de forma pacífica, organizada e com plena segurança. Vão pra rua gente!

  11. Carlos Milagres disse:

    Quanto despreparo deste articulista. Matéria tendenciosa. A proteção dos PMs, que são seres humanos e se ferem quando atacados, é para resguardar os direitos e o patrimônio da maioria, quando uma minoria se auto investe do “direito” de agredir quem deles diverge, ou depredar o patrimônio de cidadãos como forma de protesto.
    A manifestação pacífica não é reprimida. Os black blocks, que se mascaram para vandalizar, e são covardes pois só agem em bando. Mas estes se mascararem não é retratado pelo articulista. A ideologia de que o Estado é o vilão, e o vândalo é a vítima do sistema é tão caduca, que a defesa do vandalismo travestido em manifestações “pacíficas” é criminoso.

  12. Honório Tonial disse:

    A ditadura presidencial é expressa e manifesta na Democracia tupiniquim onde o titular é eleito por analfabetos, analfabetos funcionais , carreiristas políticos, corruptos e demagogos que constituem a maioria dos eleitores brasileiros.
    Infelizmente, o que vale é o número, embora a quantidade seja podre.
    De que adianta resgatar milhões da pobreza absoluta e colocá-los em situação econômica digna se lhe faltar saúde, educação, segurança?
    E os assaltos, os acidentes de transito, a juventude viciada, os moradores de rua, os sem terra e sem teto!?
    Dizer que o Brasil vive bem é cegueira, fanatismo petista ou ignorância.

  13. Fabiano disse:

    Parabéns o texto está excelente! Ainda bem que vejo pessoas querendo o bem do seu povo enquanto outros babacas submissos do governo… Quem apoia a repressão realmente é um idiota tem mais é que se fo…, não serve de por.. nenhuma para a sociedade, e mais, apoia o crime organizado que é esse governo!

  14. Mauricio Fernandez disse:

    Carlos Milagres, o nome lhe cai bem. Somente um milagre consegue identificar a ditadura ‘democrática’ em que vivemos. Se alguém se meter a protestar logo serão chamados os arruaceiros e os ‘robocops’ pegarão geral.

  15. helo disse:

    O governo já assustado com o desencanto que se espalha resolve se armar contra os manifestantes não pagos, apesar das garantias das pesquisas e das urnas eletrônicas. Máxima eficiência na manutenção do poder, mínima em tudo o mais.

  16. Miguel Meira disse:

    Ótimo artigo. Parabéns. Mas é necessário recorrer à OAB para que se entre com uma ação no STJ porque depois da tragédia não adianta querer achar os culpados pois os mortos já estarão mortos e não ressuscitarão nem com os apelos de almas caridosas. Não se pode deixar chegar a uma Venezuela, Ucrânia ou à facínora Russia.
    Uma vez proibida esta excrecência (equipamento fascista, talvez fabricado pelo Hitler) pelo STJ, aí sim, tem que se obrigar os responsáveis por esta compra a devolver o dinheiro mal gasto. Ah, ía-me esquecendo: quem comprou toda essa excrescência poderia arrumar um dinheirinho aí para construir um hospital ? Vocês viram a cor desse dinheiro para construir o hospital ? Ou para contratar mais médicos ou, quem sabe, uns professores ou será melhor ir para o boteco dar umas risadas bobas ?
    O que realmente eu não consigo entender é como tem gente (policiais) que convive todos os dias com outra gente e já sai predisposta a descer o “cacete” até, talvez, no seu vizinho que tem um filho na mesma escola do seu filho. Em pleno século XXI, consegue-se fazer tal lavagem cerebral como já fizeram ao Carlos Milagres ?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *