Início » Brasil » ‘A maior ameaça ao PT não foi às ruas em 15 de março’
Opinião

‘A maior ameaça ao PT não foi às ruas em 15 de março’

Em artigo para o El País, a jornalista Eliana Brum argumenta que o maior risco para o PT não são os que protestaram em 13 ou 15 de março, mas aqueles que não sairiam às ruas em hipótese alguma hoje

‘A maior ameaça ao PT não foi às ruas em 15 de março’
PT deveria temer aqueles que se alinham com a esquerda mas que não sairiam de casa para defender seu projeto de governo (Reprodução/Internet)

Em artigo para o El País, a jornalista Eliana Brum afirma que a maior ameaça ao Partido dos Trabalhadores hoje não são aqueles que participaram das manifestações antigoverno de domingo, 15, nem aqueles que foram às ruas para defender Dilma em 13 de março, mas os mais de 37 milhões de brasileiros que votaram em branco, nulo, que se abstiveram de votar por não se sentirem representados nem por Dilma nem por Aécio ou os que votaram em Dilma sem convicção, porque viam nela a opção “menos ruim”.

O que mais fragiliza o partido, diz Eliana, são “os que apontam que ele perdeu a capacidade de representar um projeto de esquerda – e gente de esquerda. É essa herança do PT que o Brasil, muito mais do que o partido, precisará compreender. E é com ela que teremos de lidar durante muito mais tempo do que o desse mandato”, diz

Eliana questiona a tese de que o Brasil é um país polarizado entre ricos e pobres, ou entre aqueles contra a corrupção e os beneficiados pela corrupção, ou até mesmo entre os a favor e os contra o governo. Para ela, essa tese omite o fato de que muita gente não se sentiu representada por nenhum dos dois candidatos nas eleições, aqueles que pelas razões mais diversas, preferiram votar nulo, branco ou se abstiveram, o que também é um ato político, lembra.

Há também aqueles que só votaram em Dilma no segundo turno porque acreditavam que ela representava a opção menos ruim para o Brasil. Alguns apostavam que ela faria uma guinada mais à esquerda, retomando algumas bandeiras que fizeram do PT o PT. Outros votaram nela para manter conquistas sociais e “evitar um mal maior”.

“Faz sentido suspeitar que uma fatia significativa destes que aderiram à Dilma apenas no segundo turno […] decepcionaram-se com o seu voto depois da escolha de ministros como Kátia Abreu e Joaquim Levy, à direita no espectro político, assim como com medidas que afetaram os direitos dos trabalhadores. Assim, se a eleição fosse hoje, é provável que não votassem nela de novo”, diz Eliana.

Para a jornalista, essa parcela da esquerda não encontrou um candidato que a representasse porque não há hoje uma figura nacional para ocupar o lugar de representação da esquerda. Essa parcela, que não fez panelaço nem foi a nenhuma das duas grandes manifestações dos últimos dias, é atuante politicamente e tem grande poder nas redes sociais. Por isso, é com essa parcela que o PT deveria se preocupar, porque esta era ou poderia ser a sua base, e foi perdida, diz.

“Para o PT, a herança mais maldita que carrega é o silêncio daqueles que um dia o apoiaram, no momento em que perde as ruas de forma apoteótica. O PT precisa acordar, sim. Mas a esquerda também”.

Fontes:
El País - A mais malditas das heranças do PT

11 Opiniões

  1. jovelino bispo vieira disse:

    discordo…me deu a impressao que o pais todo foi as ruas, teve megamanifestacoes ate no nordeste, reduto eleitoral do “PT”

  2. Renato Fregapani disse:

    Quem era de esquerda no PT já saiu ou foi expulso, ficarem só os “lumpen”.

  3. ceiça alles disse:

    adicionando: havia me esquecido dos 23% que votou na Marina.

  4. ceiça alles disse:

    embora goste muito de Eliane, creio que esteja equivocada. dentre os antigos eleitores do PT, também há muitos que já se desiludiram completamente com opções de esquerda, generalizadamente, além de verem que o PT nem representa seus antigos ideiais. dentre os que se abstiveram de votar, também há muitos que não são de esquerda nem nunca foram, como eleitores de minas gerais, em particular, que, apenas, não votariam em aécio, especificamente. para alguns, não havia candidato nem no primeiro turno. essa parcela não é atuante nas redes sociais, ou muito pouco. muitos dos que não votaram em ninguém não votaram em aécio apenas por saber que é tão desonesto quanto. a opção de um grande número seria por políticos NÃO CORRUPTOS. quantos % votou em eduardo jorge e em luciana genro? apenas dentre esses um pequeno número votou na dilma e outro não votou em ninguém… deve ser um número muito pequeno.

  5. Joaquim Caldas disse:

    O Golpe do PAC – Programa de Aceleração do Comunismo.
    A ciranda do crime organizado tem nome: PAC.
    Entendam como eles processam o golpe na economia nacional i internacional.
    O PAC financia um projeto aprovado em lei,elabora-se o contrato; o governo autoriza o financiamento pelo BNDES,que recebe o dinheiro do Banco Central e repassa as empreiteiras,construtoras.Vem o superfaturamento,que as empreiteiras repassam como doações em campanhas ao PT,PMDB,PSDB e nanicos aliados.Esse dinheiro é usado para eleger políticos que interessam aos seus partidos.Isto posto,montado a ciranda que vai controlar as instituições como Polícia Federal,TSE,STF,FFAA e todo poder de comando,Congresso Bicameral,quem autorizam os projetos de interesses socialistas comunistas infiltrados na democracia.No exterior que receb os empréstimo aos paises alvos são as empreiteiras brasileiras que prestam serviços aos países do conluio.Dilma é a mãe do PAC e é isenta de investigação?

  6. Antunes Branco disse:

    Mais uma vez concordo com o comentario do Carlos Pozzobon .
    Na minha opiniao, a melhor saida agora seria a renuncia da Dilma, mas nao creio que ela tenha carater para assumir que essa e a melhor solucao para o pais. Dessa forma ainda vamos ter de conviver com essa tragica opereta de segunda categoria ate que ela saia ou seja saida por um impeachement.

  7. Áureo Ramos de Souza disse:

    Acontece que os que eram petistas de carteirinha se enganaram e os petistas mais chegado estão no mensalão ou no lava jato e os que não foram as ruas é porque tinham mêdo preferiram fazer panelaço. Não existe mais PT só a sigla.

  8. Vitafer disse:

    É, sr. Revoltado, os ratos estão em todos os lugares, até em igrejas…

  9. Revoltado disse:

    Na minha humilde opinião, a análise procede. Só conseguem juntar alguns poucos manifestantes, entre cubanos e gente ralé, pagando mortadela + r$35,00. Onde está a gente do “Lulalá” ? Se não todos, mas muitos envergonhados pelo rumo desastroso que o PT tomou.
    É o fim do projeto socialista, superado pelo ação da proverbial TCB – tradicional cleptocradura brasileira. E o pior, não há sucessores, alternativas, nada.
    A nação (ou o que sobrou dela) está nas mãos de um grupo de zumbis psicopatológicos de esquerda.
    E ainda acham que pedir o impeachment ou mesmo a renúncia espontânea da louca do planalto é golpe!!! Querem até 2018 para acabar de destruir o país!!! É o cúmulo!!! É uma questão de saúde pública!! O planalto está infestado de RATOS!!!!

  10. Roberto1776 disse:

    Se, em 06 de janeiro de 1963 os eleitores brasileiros já tivessem se livrado da mania ridícula de ter um reizinho brasileiro a cada quatro ou oito anos, um presidente da república todo-poderoso, e tivessem mantido o excelente primeiro ministro de então – TANCREDO NEVES – não precisaríamos destas manifestações gigantescas para tentar o impeachment intempestivo desta horrível senhora Rousseff, nem os caras-pintadas para afastar o Collor e nem uma revolução para dar um pontapé no traseiro do irresponsável do Jango.
    Bastaria convocar novas eleições para escolher um novo primeiro ministro, como Israel está fazendo hoje. Portanto nada de queixas, pois merecemos a essa terrorista e o pt.

  11. Carlos U Pozzobon disse:

    As manifestações de 15 de março representam o coroamento do fracasso do PT como governança do país. A soma total dos benefícios gerados pelo partido em 12 anos é irrisória frente a destruição do patrimônio nacional praticado pela política de cooptação através de desvios de dinheiro público em todas as estatais. No primeiro decênio deste século o Brasil viveu uma época de ouro: as exportações triplicaram, as estatais privatizadas empanturraram o caixa do governo com impostos que antes nunca existiram, a iniciativa privada respondeu ao boom, mas os recursos públicos foram dilapidados violentamente, criando-se aumentos estratosféricos de contratos e paralisando-se obras de infraestrutura indispensáveis ao imprescindível ganho de produtividade para enfrentar o cenário globalizado. As advertências para o comportamento nocivo do governo com os recursos públicos eram ignoradas com o entorpecimento causado pela euforia de satisfação que a trupe de empresários cercando o governo desfrutava com contratos sem qualquer controle e que terminaram dilapidando o setor energético do país de tal forma que será preciso duas décadas para a sua recuperação. Agora estamos vivendo a ressaca do grande carnaval petista. Não existe mais retorno para o PT. O país está cada dia mais consciente que foi enganado, que o partido não tinha nenhum projeto nacional além de criar uma malha de organizações que controlassem o voto através da troca de benefícios. Promovendo a recessão, subitamente o caixa do governo secou. A única solução racional seria o corte das despesas, começando por ministérios inúteis e cargos comissionados estéreis. Mas o governo não pode faze-lo porque a gastança É A ÚNICA FORÇA CATALISADORA que mantém a estrutura partidária e a base aliada. Isto significa que Dilma está impossibilitada de administrar o orçamento por força dos compromissos políticos. Resta afinal o recorrente recurso do aumento de impostos. Procedendo da mesma maneira que os governos militares, a população deu um BASTA em 15 de março. E não aceita mais o governo, precipitando a crise para uma tensão que só vai acabar com a renúncia ou o impeachment. As bases para a desobediência civil estão traçadas. Nossa única certeza é saber que este governo não tem futuro.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *