Início » Brasil » Armando Monteiro: agora, a conta
Coluna Esplanada

Armando Monteiro: agora, a conta

Dilma quer do novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio um bom lobby junto aos empresários do setor produtivo

Armando Monteiro: agora, a conta
Armando Monteiro, o novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Fonte: Reprodução/Divulgação)

A presidente Dilma vai cobrar a conta: quer de Armando Monteiro, o novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, um bom lobby junto aos empresários do setor produtivo e que ele acalme o setor. Armando foi presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a turma anda irritada com as políticas econômica e de desonerações da presidente: a primeira, porque mantém o País na recessão; e a segunda, porque afaga apenas alguns setores, e não todos. A estreia de Monteiro também é estratégica política. A direção do PTB conversa com o senador Aécio Neves, potencial candidato em 2018.

Dois lados

Armando na Esplanada é afago à bancada do PTB do Senado, entre eles Fernando Collor. A bancada da Câmara, maior e mais importante, se sente desprestigiada.

Osmar fica

O ex-senador Osmar Dias (PDT) teve a confirmação da presidente Dilma de que ficará na vice-presidência do Banco do Brasil.

Giles volta

Giles Azevedo, após um período de descanso, volta ao Palácio do Planalto no novo governo Dilma. É cotado para a Secretaria-Geral da Presidência.

Três ações

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou que há três compromissos para tentar conter o crescimento de casos de Aids no Brasil: divulgar mais ainda a utilização de preservativos, ampliar a aplicação de testes de HIV e, identificado o caso, efetuar o tratamento imediato via SUS, em especial.

Falha continua

O curioso é que as peças publicitárias continuam sempre aquém para um produto tão estratégico, a popular camisinha, para o combate a Aids. Entre 15 e 24 anos houve um crescimento de 23,3% nos últimos cinco anos. A estratégia na propaganda há muito é criticada por publicitários, no formato e na quantidade de inserções no rádio e na TV.

Raios x do trabalho

Os auditores do trabalho cobram o governo por uma campanha de conscientização. Levantamento recente feito pela categoria revela mais de 700 mil acidentes de trabalho todos os anos no Brasil, com mais de 2.800 mortes e mais de 14 mil casos de invalidez.

R$ 70 bi!

De acordo com a categoria, os gastos despendidos com este cenário são de R$ 70 bilhões por ano.

Eternidade

Por questões contratuais, com Márcio Thomaz Bastos morreram alguns dos segredos dos maiores criminosos de colarinho branco do país, seus clientes.

Bye, Miami?

Portugal se tornou opção dos brasileiros que procuram imóveis no exterior. O metro quadrado em cidades como Lisboa, Porto, Estoril é mais barato que no Rio, São Paulo, Paris e Milão. Consultoria foi aberta no Rio especialmente para atender a demanda.

Arranhar o disco

Com essa economia estagnada tem político querendo trocar de profissão. Um deputado soube que foi de US$ 167 mil (mais de R$ 350 mil) o cachê líquido do jovem DJ Steve Aoki num show em Brasília em setembro.

Lei e crime

A Lei Anticorrupção, que entrou em vigor, trouxe brechas que preocupam especialistas e alertam empresários para riscos de chantagens e intimidações. Dia 12 haverá seminário em SP pela Central Prática Consultoria. Inscrições: (11) 3257.4979

Mais do Mesmo

Continua o circo da CPMI da Petrobras. A acareação entre os ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto e Nestor Cerveró será hoje, mas só um deles vai falar — o que os congressistas já sabem. E o outro, sairá mudo.

Festival de recados

Pela pressão dos parlamentares da CPMI, a acareação é uma estratégia, na verdade, de intimidação — dos supostos políticos envolvidos em propinas.

PT x Vargas

E continua a novela do processo de expulsão do deputado André Vargas do PT. A ação do partido está na mesa do ministro Gilmar Machado, no TSE.

Ponto Final

Tem muita gente em Brasília já preparando a trouxinha para receber a PF na porta a partir de janeiro.

3 Opiniões

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    Não houve propaganda contra a Aids pois estavam era preocupados em roubar a Petrobras. Eu já estou sabendo que existe uma dezena de políticos envolvido no ASSALTO a Petrobras e tem políco já de mala e cuia. Eu gostaria de ler o nome Dilma Rousseff e Luiz Inácio da Silva vulgo Lula.

  2. Joma Bastos disse:

    Tenho a impressão que o governo está é necessitando de um ministro de marketing.

  3. helo disse:

    Realmente a falha publicitária em relação a AIDS foi um erro que nos fez retroceder.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *