Início » Brasil » Alta de 1% no PIB no 1º trimestre não indica fim da recessão
ECONOMIA

Alta de 1% no PIB no 1º trimestre não indica fim da recessão

Segundo analistas, o resultado foi obtido graças a uma colheita recorde e não contabiliza os reflexos dos escândalos de corrupção no governo

Alta de 1% no PIB no 1º trimestre não indica fim da recessão
Retomada do setor agrícola não significa que o Brasil deixou a recessão para trás (Foto: EBC)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na última quinta-feira, 1, uma pesquisa do IBGE apontou que o PIB do país cresceu 1% no primeiro trimestre deste ano, o primeiro resultado positivo após oito trimestres negativos.

A notícia foi recebida com comemoração pelo presidente Michel Temer, que declarou que a “recessão acabou”. No entanto, analistas ouvidos pelo jornal Financial Times pedem cautela diante do resultado.

Primeiro, porque ele foi obtido graças a retomada de um setor: o agronegócio, que registrou uma farta colheita de soja que levou a uma expansão de 13,4% no primeiro trimestre, a maior em 20 anos. O resultado é um alívio para o setor. No ano passado, o clima ruim devastou hectares, ceifou empregos e gerou uma fraca colheita de cana-de-açúcar, soja e milho, que correspondem a quase 60% da produção agrícola do país.

Porém, a retomada do setor agrícola não significa que o Brasil deixou a recessão para trás. Comparado com o primeiro trimestre de 2016, por exemplo, o PIB encolheu 0,4%. Além disso, mesmo com o crescimento de 1% do PIB, a pesquisa do IBGE aponta que a Despesa de Consumo das Famílias caiu 1,9% no primeiro trimestre do ano.

“Dificilmente isso indica que iniciamos uma retomada vigorosa da economia. O cenário do primeiro trimestre foi alavancado por uma colheita recorde. É provável que haja um retorno no segundo trimestre”, disse Alberto Ramos, economista da Goldman Sachs.

Em segundo lugar, o crescimento do PIB não leva em conta os reflexos do escândalo de corrupção envolvendo Michel Temer e a JBS. O presidente, que nega as acusações, aproveitou o resultado para exaltar seu governo e angariar apoio político às suas reformas. “Acabou a recessão! Isso é resultado das medidas que estamos tomando. O Brasil voltou a crescer. E com as reformas vai crescer mais ainda”, disse Temer, em sua conta no Twitter.

No entanto, para Silvio Campos Neto, economista-sênior da Tendências Consultoria, os reflexos do escândalo da JBS ainda serão sentidos na economia. “Os resultados do primeiro trimestre são leituras anteriores a esse evento político”, disse Neto, ressaltando que o escândalo pode “tornar a retomada econômica algo muito difícil”.

Fontes:
Financial Times-Brazil crawls out of recession after bumper soy crop

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. laercio disse:

    A economia brasileira é muito instável para que possamos falar em recessão!
    Centenas de medidas devem ser adotadas imediatamente para daqui cinco anos colhermos resultados sólidos!

    Há muitos problemas internos que estão segurando o país e lentamente o afundando!

    Muitas pessoas não querem que haja solução, pois ganham fortunas com a bagunça no Brasil; é fácil perceber isso, basta ver os noticiários!

    Para haver uma mudança devemos modificar a constituição de forma que a mesma aponte comissões independentes e prontas para substituir o ente público que falhe em sua missão.
    Tais comissões podem ser provisórias mas com tempo de permanência necessário até que os criminosos sofram julgamento.

    Esse é o principal passo! Uma constituição que não espera mas sim atende o povo.

    Quando algo assim for implantado na constituição então podemos falar em reformas gerais… Diminuir índices criminais, criar mais empregos… Então a recessão começa a acabar

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *