Início » Brasil » Alunos brasileiros não concluem avaliação mundial de educação
EDUCAÇÃO

Alunos brasileiros não concluem avaliação mundial de educação

Estudo aponta que 61% dos estudantes brasileiros não conseguiram completar a principal avaliação internacional de educação básica

Alunos brasileiros não concluem avaliação mundial de educação
O Pisa 2015 avaliou alunos de 15 e 16 anos em 70 países (Foto: Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Ao todo, 61% dos alunos brasileiros que participaram do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2015, a principal avaliação internacional de educação básica, não conseguiram completar a prova. As informações foram divulgadas pela Folha de S. Paulo nesta quinta-feira, 19.

A constatação foi feita em um estudo do professor Naercio Menezes Filho, publicado no periódico Economics of Education Review. O artigo foi baseado nos resultados do Pisa 2015, o mais recente – a avaliação ocorre a cada três anos e as notas de 2018 ainda não foram divulgadas.

O resultado do Brasil, no geral, não foi bom. O país ficou entre as últimas posições. Se analisado o desempenho ao longo do exame, os estudantes brasileiros ficam na 55ª posição, entre 70 países participantes. Na Colômbia, que tem resultados similares ao do Brasil no exame, apenas 18% dos estudantes não conseguem completar a avaliação.

Alunos de países orientais, como Hong Kong, Coreia do Sul e Taipei, conseguem manter o mesmo desempenho do início ao fim da avaliação. Segundo o artigo de Menezes Filho, os brasileiros perdem muito tempo nas questões iniciais e, depois, precisam acelerar nas seguintes, o que prejudica o desempenho.

O Pisa 2015 avaliou alunos de 15 e 16 anos em 70 países. No Brasil, foram 23.141 alunos de 841 escolas. A avaliação constatou a falta de habilidade de brasileiros ao fazer provas e o baixo conhecimento das disciplinas. Em leitura, o Brasil ficou em 58º lugar, sua melhor posição. Em matemática, o desempenho rendeu a 63ª posição ao país. Em ciências, os brasileiros ficaram em 65º.

“Parte do diagnóstico é de que os alunos não sabem o que é pedido, ou têm dificuldade de entender os enunciados, mas há outros fatores por trás”, explicou Menezes Filho, conforme noticiou a Folha de S. Paulo. A falta de motivação também estaria relacionada ao baixo desempenho.

 

Leia também: Pais e a educação escolar das crianças
Leia também: Educação precisa ser responsabilidade compartilhada
Leia também: Brasil gasta bem menos do que a média global em educação básica

Fontes:
Folha de São Paulo-Alunos brasileiros não chegam ao fim de prova em avaliação mundial

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Buckminster disse:

    As minorias ditam as regras e favorecem o crescimento do crime, isto faz os jovens terem “super poderes” e a maioria segue fazendo o que quer, este ambiente faz com que nada progrida no Brasil; anos após anos só lamentamos os prejuízos, tudo graças as minorias que pedem legalização de drogas, libertinagem, destruição da família entre outras coisas; estão cumprindo bem as regras de ataque internacional contra o Brasil.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *