Início » Brasil » Casos de H1N1 em Corumbá geram temores de um novo surto
GRIPE SUÍNA

Casos de H1N1 em Corumbá geram temores de um novo surto

Possível surto de H1N1 põe município de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, em estado de alerta

Casos de H1N1 em Corumbá geram temores de um novo surto
O MPE quer que o município de Corumbá seja abastecido para a Campanha Nacional de Vacinação (Foto: Osnei Restio/ Prefeitura de Nova Odessa)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O município de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, está convivendo com a ameaça de um possível surto de gripe A g. Dos 15 casos suspeitos notificados pelo boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde do MS, 14 deles foram registrados na cidade, que já teve dois casos confirmados de H1N1 – um deles a vítima morreu e o outro está sendo averiguado.

Diante desta possível ameaça, o Ministério Público Estadual (MPE) solicitou que o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte (PT), e a secretária de Saúde, Dinaci Vieira Marques Ranzi, solicitem doses da vacina contra a doença ao Ministério da Saúde para atender toda a população do município.

O MPE quer que o município de Corumbá seja abastecido para a Campanha Nacional de Vacinação, que será realizada entre os dias 7 e 20 de maio, e que sejam vacinadas pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, população indígena, crianças com idade entre seis meses e cinco anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, população carcerária, funcionários do sistema carcerário e estrangeiros. De acordo com a promotora de Justiça Viviane Zuffo Vargas Amaro, a prefeitura de Corumbá tem um prazo de dez dias para acatar o pedido do MPE.

Os casos notificados no Mato Grosso do Sul de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) podem ser causadas pelos vírus influenza A, B e C, mas os vírus A e B são os que apresentam maior preocupação clínica, devido a suas mutações e por serem os maiores responsáveis pelas epidemias. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a influenza atinge de 5 a 15% da população mundial e é responsável por cerca de 3 a 5 milhões de casos graves e 250 mil a 500 mil mortes por ano.

Fontes:
Correio de Corumbá-MPE quer que prefeito solicite vacinas contra H1N1 para toda população

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *