Início » Brasil » Amostras de água da Cedae com coliformes fecais cresceram 50%
Rio de Janeiro

Amostras de água da Cedae com coliformes fecais cresceram 50%

No primeiro semestre deste ano, o percentual de coliformes fecais presentes na água encanada do sistema Guandu aumentou, trazendo riscos à saúde

Amostras de água da Cedae com coliformes fecais cresceram 50%
Ministério da Saúde classifica como intolerável a presença desses coliformes em água tratada (Foto: Flickr)

Nos primeiros seis primeiros meses deste ano, o percentual de coliformes fecais presentes na água encanada do sistema Guandu aumentou em 50%. A denúncia foi feita pelo Globo nesta sexta-feira, 19, e tem como base a conta da Cedae que apresenta tais dados.

Os coliformes fecais (também chamados de termotolerantes) contêm bactérias causadoras de doenças como hepatite tipo A, gastroenterite, poliomielite e diarreia, que são especialmente perigosas para crianças.

No primeiro semestre deste ano, eles foram encontrados em 24 amostras, oito a mais em relação ao mesmo período do ano passado. O Ministério da Saúde classifica como intolerável a presença desses coliformes em água tratada.

Segundo a denúncia, embora não existam dados oficiais, a presença dos coliformes pode estar associada ao aumento de problemas gastrointestinais registrados em hospitais da capital carioca.

Para Rebeca Vazquez Novo Martins, mestre em microbiologia e parasitologia aplicadas e professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis, o risco maior está na água consumida diretamente da torneira. Isso porque muitas pessoas não fazem a manutenção dos filtros no intervalo de tempo correto.

“Podemos dizer que a água da Cedae tem balneabilidade, mas não potabilidade. Ou seja, pode ser utilizada para banho, mas não pode ser bebida diretamente da torneira. O problema é que as pessoas nem sempre limpam ou trocam seus filtros nos intervalos corretos. Elas podem estar com produtos inadequados acreditando que estão protegidas”, diz Rebeca, que também alerta para o cuidado no preparo de alimentos como frutas e legumes.

Em entrevista ao Globo, Jaime Lopes, professor e pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp), apontou alguns fatores que podem ter contribuído para o aumento dos coliformes fecais na água.

“Não sabemos o que causou essa piora nos indicadores de coliformes termotolerantes. Pode ser que a qualidade da água que chega à Cedae tenha piorado com a crise hídrica. No entanto, o mais provável é tenha havido aumento do número de ligações clandestinas e infiltrações na rede, por causa da menor pressão da água nos canos”, disse Lopes.

Fontes:
O Globo-Amostras de água com coliformes coletadas na rede da Cedae aumentam 50%

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *