Início » Brasil » Analisando o fenômeno do linchamento no Brasil
Justiça com as próprias mãos

Analisando o fenômeno do linchamento no Brasil

O Brasil tem, em média, uma tentativa de linchamento por dia. Desde 2011, foram 2.505, praticados por pessoas que se consideram acima da lei

Analisando o fenômeno do linchamento no Brasil
Linchadores acreditam que têm o direito de desrespeitar a lei (Foto: Pixabay)

Um artigo publicado nesta sexta-feira, 14, no New York Times analisou o fenômeno dos linchamentos no Brasil. Assinado pela jornalista brasileira Vanessa Barbara, o artigo lista vários linchamentos ocorridos recentemente no país.

O Brasil tem, em média, uma tentativa de linchamento por dia, escreve Vanessa. Desde 2011, foram 2.505 agressões desse tipo, a maioria no estado de São Paulo. E o apoio popular dado à prática mostra que o ato de fazer justiça com as próprias mãos se tornou algo aceitável, até mesmo incentivado no país.

Nas redes sociais, é possível notar que muitos brasileiros concordam com os linchamentos. Exemplo disso ocorreu ano passado, no Rio de Janeiro, quando um adolescente morador de rua foi preso nu a um poste por um bando de jovens autointitulados “justiceiros”. O jovem havia roubado o celular de uma mulher momentos antes.

A foto do jovem amarrado ao poste foi postada no Facebook e teve milhares de compartilhamentos, a grande maioria a favor do linchamento. Após monitorar a postagem, um jornal revelou que 71% da população apoiou o ato.

Esses linchamentos podem ocorrer por vários motivos, inclusive por engano. No ano passado, por exemplo, uma mulher chamada Fabiane Maria de Jesus foi espancada até a morte após ser confundida com uma suspeita de sequestrar crianças para fazer rituais de magia negra. O boato correu em uma página do Facebook chamada Guarujá Alerta, e moradores locais acharam a mulher que aparecia no retrato falado parecida com Fabiane, o que acabou sendo sua sentença de morte.

Para o sociólogo José de Souza Martins, os linchamentos aumentam à medida em que mais casos são noticiados. “A transformação do crime em um espetáculo midiático e das redes sociais é, provavelmente, a causa da multiplicação dos linchamentos. A emotividade com que o fato é abordado nas manchetes, que costumam ser superficiais e carentes de informação, também acaba estimulando a prática”.

Os linchadores se dizem cidadãos de bem e cumpridores da lei, diferentes de delinquentes que merecem ser punidos. Porém, eles ignoram o fato de seus atos serem motivados por ódio e preconceito. Eles também ignoram que suas ações atropelam a Justiça.

Os linchadores acham que estão acima da lei e que têm o direito de desrespeitá-la. Um dos justiceiros que amarraram o adolescente no poste, por exemplo, era suspeito de outros crimes como roubo de carro, tráfico de drogas e estupro.

Fontes:
The New York Times-Brazil’s Vigilante Lynchings

3 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Com uma justiça decadente e totalmente ineficiente, com a polícia sendo, a cada instante, desmoralizada por juízes, e a desídia de policiais incompetentes (vide o caso Bernardo no RS onde o suspeito de assassinato do filho provavelmente se tornará suspeito do “suicídio” da mãe de Bernardo) a população se sente compelida a fazer o que o estado se recusa a fazer.
    Que sejam debitados os linchamentos àqueles que deveriam, mas não fazem justiça, os juízes, e os que encaminham (mal) os inquéritos.
    Não é possível continuar do jeito que está sem que as consequências ocorram. Como diria Cícero: “quo usque tandem, justitia, abutere patientia nostra?”,

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    A reportagem está correta mais leiam o que ocorreu aqui em Recife. Seis (06) jovens entraram em um restaurante e anunciaram o assalto, um professor que se encontrava com a família no local sentado solicitou que lhes entregasse os documentos, eles não gostaram e deram um tiro, o cidadão correu e quando ia saindo levou uma coronhada de arma e assim mesmo continuou correndo atiraram nele e veio a óbito. O rapaz que deu a coronhada foi preso e ao mesmo tempo solto pois não houve flagrante. Porque foi solto? ele fazia parte da gangue e deu uma coronhada no professor pois todos viram através das câmaras, tá certo isso?

  3. Ludwig Von Drake disse:

    Confuso o sociólogo Martins em suas premissas: é claro que se mais casos são noticiados os linchamentos aumentam, ou vice-e-versa. Prefiro concluir pelo óbvio: os linchamentos ocorrem porque os delinquentes são apanhados e a polícia demora. Vale lembrar Nietszche que disse que “a verdadeira justiça é a vingança”, porque é a única que satisfaz plenamente o ofendido.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *