Início » Brasil » Análise de amostras de carnes não indicam risco à saúde, diz ministro
OPERAÇÃO CARNE FRACA

Análise de amostras de carnes não indicam risco à saúde, diz ministro

Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, informa que laudos não apontam risco à saúde em produtos dos 21 frigoríficos investigados na Carne Fraca

Análise de amostras de carnes não indicam risco à saúde, diz ministro
'Temos 12 laudos e nenhum deles apresenta qualquer perigo ao consumo humano', diz Maggi (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, informou nesta segunda-feira, 27, que, até o momento, não foram identificados produtos que trouxessem risco à saúde humana em nenhum dos 21 frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

O ministério colheu 174 amostras de produtos desses frigoríficos e foram feitas análises físico-químicas para detectar, por exemplo, uso excessivo de ácido sórbico ou água injetada nas carnes. “Temos, agora, 12 laudos e nenhum deles apresenta qualquer perigo ao consumo humano das mercadorias que foram apresentadas”, afirmou Maggi.

Ao todo, seis frigoríficos estão interditados por irregularidades. Três deles foram interditados “preventivamente” pela PF – um da BRF, em Mineiros (GO), e dois da Peccin, em Curitiba (PR) e em Jaraguá do Sul (SC).

Nos outros três, o ministro afirmou que foram identificadas “não conformidades” com as regras técnicas do ministério para fabricação de alimentos. No frigorífico Souza Ramos, de Colombo (PR), foi relatado o uso de amido acima do permitido nas salsichas. Já na fábrica de ração animal Farinha de Carnes Castro, de Castro (PR), foi encontrada matéria-prima vencida. No Laticínios SSPMA, de Sapopemba (PR), os responsáveis pela empresa tentaram impedir a fiscalização.

Países voltam a comprar carne brasileira

Nesta terça-feira, 28, o Centro para Segurança Alimentar de Hong Kong (CFS, na sigla em inglês) anunciou que voltará a comprar carne brasileira e que a suspensão se limitaria apenas aos produtos dos 21 frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca. A ação é a mesma adotada por China, Chile e Egito.

Maggi comemorou a decisão dos países e espera que outros voltem a consumir o produto brasileiro. “Espero que as empresas e o governo brasileiros, que contribuíram para conquistar esses mercados durante décadas, voltem ao mercado agora para reconquistar esses canais”, afirmou.

Hong Kong é o terceiro maior comprador de carne brasileira, atrás apenas da União Europeia e da China. O Brasil é o principal fornecedor de carnes para o mercado chinês –  80% de todo o frango que a China importa e 29% das carnes bovinas são brasileiras.

Fontes:
Valor Econômico-Análise em amostras de carnes não
Estado de Minas-Análise de carnes recolhidas não indica risco à saúde, diz ministro da Agricultura
Estado de S. Paulo-Sobre Carne Fraca, Blairo diz que até agora não há indícios de risco à saúde
Extra-Carne Fraca: Hong Kong vai retomar compra de carne brasileira

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *