Início » Brasil » Anvisa desconhece paradeiro de células-tronco embrionárias doadas
relatório

Anvisa desconhece paradeiro de células-tronco embrionárias doadas

Segundo relatório, mais de 5 mil embriões foram doados para pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil, mas Anvisa não sabe o que foi feito com eles

Anvisa desconhece paradeiro de células-tronco embrionárias doadas
Anvisa também não soube explicar o motivo pelo qual as estatísticas de doação variam muito de ano para ano (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Dados revelados pelo sétimo relatório do SisEmbrio, feito anualmente pela Anvisa, revelaram que nos últimos sete anos, 5.131 embriões humanos foram doados para pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil. Contudo, nem a própria Anvisa sabe para onde foram os embriões doados, nem o que foi feito com eles.

A Anvisa também não soube explicar o motivo pelo qual as estatísticas de doação variam muito de ano para ano. Para ter uma ideia, no ano de 2010, foram doados 748 embriões. Já em 2011, esse número saltou para 1.322 e caiu bruscamente para 315, em 2012. O número de embriões doados é muito maior do que o esperado, tendo como base o volume restrito desse tipo pesquisa no Brasil.

Lygia Pereira, cientista do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo e chefe do Laboratório Nacional de Células-tronco Embrionárias da USP, é uma das poucas pessoas no Brasil que desenvolvem pesquisas com células tronco-embrionárias. De acordo com ela, seu laboratório recebeu 250 embriões no ano passado, número que corresponde apenas a 30% do total apresentado pelo relatório do SisEmbrio para o estado de São Paulo naquele ano. A cientista afirma desconhecer outro grupo que esteja tentando realizar linhagem com células-tronco embrionárias. “Pode ser que haja, mas eu não conheço”, afirma.

Renata Parca, especialista em vigilância sanitária e responsável pela elaboração do relatório do SisEmbrio, afirma não ter hipótese para explicar o que aconteceu com os embriões doados. De acordo com ela, a Anvisa apenas registra os dados que são enviados pelas clínicas de fertilidade, e cabe às vigilâncias sanitárias regionais fazer a verificação dos dados junto.

Fontes:
Estadão-Dúvidas rondam relatório sobre embriões da Anvisa

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *