Início » Brasil » Bolsonaro chega a Dallas para receber prêmio
‘PERSONALIDADE DO ANO’

Bolsonaro chega a Dallas para receber prêmio

Bolsonaro vai receber o prêmio ‘Personalidade do Ano’ na cidade texana. Metade dos vereadores locais, porém, rejeita a visita do presidente

Bolsonaro chega a Dallas para receber prêmio
Bolsonaro é acompanhado por cinco ministros, dois deputados federais e dois governadores (Foto: Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro chegou na manhã desta quarta-feira, 15, à cidade de Dallas, no Texas, nos Estados Unidos. O presidente brasileiro vai receber o prêmio de “Personalidade do Ano”, promovido pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, durante um almoço na próxima quinta-feira, 16.

Bolsonaro chega aos Estados Unidos acompanhado pelos ministros Santos Cruz (Secretária de Governo), Paulo Guedes (Economia), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Ademais, os deputados federais Hélio Lopes (PSL-RJ) e Marco Feliciano (Pode-SP), além do presidente da Caixa Econômica Federal (Pedro Guimarães) e os governadores João Dória (PSDB-SP) e Gladson Cameli (PP-AC) também integram a comitiva.

De acordo com a agenda de Bolsonaro, disponível no site do Planalto, o presidente brasileiro vai se reunir, na tarde desta quarta-feira, com o ex-presidente republicano George W. Bush (2001-2009). Apesar de integrar o mesmo partido, Bush é um dos maiores críticos ao governo de Donald Trump.

A organizadora do evento em Dallas é a World Affairs Council, presidida regionalmente por James Falk, que se mostrou animado com a visita de Bolsonaro à cidade e a possibilidade de tratar de investimentos no Brasil. O World Affairs Council não tem fins lucrativos e surgiu para debater sobre o que ocorre ao redor do mundo.

Cancelamento em Nova York

A premiação de “Personalidade do Ano” vai ocorrer em Dallas após uma intensa controvérsia colocar o prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, e Bolsonaro em lados opostos. A cidade sofreu grande pressão para que o evento não fosse realizado em seu território.

Inicialmente, a premiação estava prevista para ocorrer em Nova York. No entanto, diferentes autoridades começaram a se movimentar para barrar a solenidade na cidade. Diante disso, o Museu Americano de História Natural, onde ocorreria a premiação, optou por cancelar o evento.

Após o cancelamento, outro local foi definido: o hotel Marriott Marquis, que passou a ser criticado duramente. O CEO da Marriott International, Anne Sorenson, escreveu, no LinkedIn, um artigo defendendo a realização da solenidade no hotel.

A oposição à realização do evento no hotel estava sendo liderada pelo senador democrata Brad Hoylman. O parlamentar lançou um abaixo-assinado que teve quase 83 mil assinaturas antes de Bolsonaro voltar atrás e decidir não mais viajar para Nova York.

Ao lado de Hoylman estava o prefeito Bill de Blasio que, após Bolsonaro anunciar que não viajaria para Nova York, celebrou a desistência. “Jair Bolsonaro aprendeu da maneira mais difícil que os nova-iorquinos não fecham os olhos para a opressão. Nós denunciamos a sua intolerância. Ele fugiu. Nenhuma surpresa — valentões não aguentam um soco. Já vai tarde, Jair Bolsonaro. Seu ódio não é bem-vindo aqui”.

Novas dificuldades

A cidade de Dallas, no Texas, parecia, então, ser o local ideal para a realização do evento. Tradicionalmente visto como conservador, não esperava-se que Bolsonaro encontrasse resistência no Texas.

No entanto, novas manifestações contra a presença de Bolsonaro iniciaram. Metade dos 14 vereadores de Dallas assinou uma carta rejeitando a visita do presidente brasileiro.

Isso porque a cidade de Dallas é controlada pelo Partido Democrata. O prefeito de Dallas é o democrata Mike Rawling, que admitiu discordar de Bolsonaro, mas não se opôs a visita do chefe de Estado. Rawling, inclusive, deve se reunir com Bolsonaro, segundo afirmou o Palácio do Planalto.

Apesar do prefeito não fazer oposição à visita de Bolsonaro, outros democratas veem o presidente brasileiro como persona non grata na cidade, como é o caso do vereador Scott Griggs, que se posiciona mais à esquerda no Partido Democrata e busca a eleição para a prefeitura de Dallas.

Não apenas Dallas, como o estado do Texas tem enfrentado mudanças no posicionamento político nos últimos anos. Em 2016, durante a corrida presidencial, a democrata Hillary Clinton conseguiu uma vantagem de 26 pontos sobre o presidente republicano Donald Trump no estado.

Além disso, mesmo que o Partido Republicano ainda mantenha o controle do estado, os democratas estão crescendo. Outra prova foi a quase vitória do democrata Beto O’Rourke na disputa no Senado Federal. O democrata conseguiu 48,33% dos votos, enquanto o republicano Ted Cruz se elegeu com 50,89%. O resultado foi uma grande queda se comparado a 2012, quando Cruz venceu com uma vantagem de 16%.

Outro fato que comprova o crescimento do Partido Democrata no estado do Texas é que, nas últimas eleições, o Partido Republicano perdeu 12 cadeiras na Câmara estadual e duas no Senado estadual.

Fontes:
O Globo-Bolsonaro chega a Dallas para segunda visita oficial aos EUA
G1-Após cancelar viagem a NY, Bolsonaro embarca para Dallas a fim de receber homenagem
BBC-'Refúgio' de Bolsonaro após protestos em NY, conservador Texas vê crescimento da esquerda

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *