Início » Brasil » Apreensões de drogas vendidas na internet aumentam 64%
TRÁFICO NA INTERNET

Apreensões de drogas vendidas na internet aumentam 64%

Sites estrangeiros têm sido usados por brasileiros para evitar ação de agentes públicos

Apreensões de drogas vendidas na internet aumentam 64%
Volume de drogas apreendidas cresceu de 416 kg em 2013 para 684 kg em 2015 (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A compra e venda de drogas pela internet tem sido uma maneira encontrada por muitos brasileiros para evitar o contato com a polícia e traficantes. Dessa forma, empresas estrangeiras apostam nas vendas online para o país. Segundo dados fornecidos pela Lei de Acesso à Informação, a Receita Federal apreendeu 684 kg de drogas em 2015, um aumento de 64% em relação a 2013, quando houve o confisco de 416 kg. Em relação a sementes de maconha, houve alta de 143% no mesmo período, com um salto de 970 sementes apreendidas para 2.359.

Essas empresas inicialmente surgiram na “deep web” – região dedicada ao mercado negro da internet em que as páginas não aparecem nas ferramentas de busca. No entanto, com a crescente procura, essas empresas saíram da “invisibilidade” e hoje apresentam sites com conteúdo em português e estimativas de preços em reais. Compradores contam que aplicativos de mensagens, como WhatsApp, Telegram e Facebook, também são usados para confirmar as transações internacionais.

Um desses sites mais populares é o Seedsman, do Reino Unido. Nele, o comprador encontra uma grande variedade de sementes de maconha. Uma das sementes mais caras, por exemplo, chega a ser vendida por 44 euros (cerca de R$ 154). Apesar do site recomendar que os usuários verifiquem a legislação de seu país para poder comprar os produtos legalmente, ele oferece a opção de “envio secreto”, em que há um seguro em caso de extravio e uma embalagem “discreta”.

A cocaína é a droga mais enviada para o Brasil pelos correios. Em 2015, foram apreendidos 651 kg da droga, o que corresponde a 95% dos flagrantes.

De acordo com o Ministério Público Federal, a compra de entorpecentes pela internet pode ser enquadrada no crime de tráfico, e no caso de sites fora do país, o comprador pode ser denunciado por tráfico internacional, com pena de até 25 anos de prisão.

Cultivo de maconha

Além da compra pela internet, outra forma encontrada por brasileiros de fugir da ação dos agentes públicos é o cultivo de maconha. Fóruns e páginas têm sido criados para dar dicas de como plantar a erva em casa.

Em junho, um dono de um canal no Youtube que ensinava a plantar maconha foi preso no Distrito Federal, acusado de tráfico. Foram encontrados 100 pés de maconha em sua casa. Segundo a polícia, ele tinha criado uma cooperativa que cobrava colaborações mensais de até R$ 75 dos seus seguidores em troca de sementes da erva. Atualmente, o canal tem 43 mil inscritos.

Fontes:
Estado de S. Paulo-Apreensão de droga comprada pela internet em sites do exterior sobe 64%

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *