Início » Brasil » Assassinato de vereadora do Rio ganha repercussão internacional
SUSPEITA DE EXECUÇÃO

Assassinato de vereadora do Rio ganha repercussão internacional

Marielle Franco foi morta a tiros na noite da última quarta-feira, 14, no Rio. A polícia investiga hipótese de execução

Assassinato de vereadora do Rio ganha repercussão internacional
Marielle se formou em Sociologia na PUC-Rio e fez mestrado em administração pública na UFF (Fonte: Reprodução)

O assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol), de 38 anos, na noite da última quarta-feira, 14, no Estácio, região central do Rio de Janeiro, ganhou repercussão internacional. A vereadora, que era socióloga e mestre em administração pública, foi a quinta mais votada nas últimas eleições municipais do Rio.

A morte de Marielle foi noticiada pelo principais veículos de comunicação dos EUA, como New York Times, ABC e The Washington Post.

A estatal Televisión del Sur, com sede na Venezuela, também deu destaque à morte da vereadora: “A proeminente ativista brasileira de direitos humanos e a vereadora de esquerda Marielle Franco foi assassinada no Rio de Janeiro. Faz parte de uma geração de jovens brasileiros negros que estão se tornando cada vez mais vocais dentro e fora de casas de estado. Franco foi eleita para a Câmara em 2016”.

Em sua página na internet, o News Deeply, de Nova York, destacou: “Das favelas a vereadora, lutando pelos direitos das mulheres no Rio”. O texto afirma: “Quando Marielle Franco decidiu concorrer a um lugar no município do Rio de Janeiro, ela já teve três ataques contra ela aos olhos do público eleitoral: ela é mulher, ela é afro-brasileira e ela vem da favelas, favelas urbanas da cidade. Apesar das probabilidades, ela foi eleita para a Câmara da cidade no ano passado, e desde então tornou prioritário lutar pelos direitos de seus constituintes femininos”.

O crime contra a vereadora também foi noticiado pelo jornal peruano El Comércio, que ressaltou que Marielle era uma dura crítica da intervenção federal na segurança pública do Rio.

A vereadora retornava de um evento na Lapa chamado “Jovens Negras Movendo as Estruturas” quando, por volta das 21h30, um carro emparelhou ao lado do veículo em que estava e foram efetuados vários disparos. Os atiradores fugiram sem cometer nenhum roubo. Marielle e o seu motorista, Anderson Pedro Gomes, de 39 anos, morreram na hora. Uma assessora da vereadora, que estava no banco da frente, ao lado do motorista, escapou, sendo atingida apenas por estilhaços.

Investigadores da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro apuram a hipótese de execução, uma vez que a vereadora é conhecida por denunciar casos de truculência e abuso de poder por parte de policiais e milicianos em favelas do Rio de Janeiro. Uma de suas últimas postagens no Facebook, por exemplo, denunciava abusos cometidos por policiais do 41º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Acari.

“Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento. O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana, dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior. Compartilhem essa imagem nas suas linhas do tempo e na capa do perfil!”, escreveu a vereadora.

Na manhã desta quinta-feira, 15, o presidente Michel Temer lamentou a morte de Marielle, que classificou como um ato de “extrema covardia” que “não não ficará impune”. O governo federal anunciou que vai acompanhar a apuração do crime. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, falou com o interventor federal no estado, general Walter Braga Netto, e colocou a Polícia Federal à disposição para auxiliar em toda investigação.

A Anistia Internacional cobrou investigação imediata e rigorosa do assassinato da vereadora. Atos foram marcados em oito capitais para homenagear Marielle Franco e cobrar justiça. No Rio, militantes e filiados do Psol farão uma vigília às 11h na Câmara Municipal. Às 17h, sairá um ato com concentração na Alerj em direção à Cinelândia. Em São Paulo, o ato será no vão livre do MASP, na avenida Paulista, às 17h.

Em Salvador, onde ocorre o Fórum Social Mundial, a homenagem será às 10h na Tenda Sem Medo, que está montada no Instituto de Física da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Em Brasília, o ato será das 11h às 14h, no Anexo II da Câmara dos Deputados. Em Belo Horizonte, as homenagens serão na Praça da Estação, às 17h. Em Recife, o movimento feminista Partida Recife organiza uma ação na Câmara Municipal, às 17h. Em Curitiba, o PSOL marcou homenagens às duas vítimas para as 18h30, no Prédio Histórico da UFPR. Em Natal, o ato será na frente da sede do partido da vereadora, às 17h.

Fontes:
O Globo-Imprensa internacional repercute morte de Marielle Franco, no Rio

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

7 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    É fato que os movimentos sociais neste injusto e desigual País nunca tiveram tão acuados.
    Setores conservadores que sempre exploraram esta Nação estão vendo o seu “status quo” em risco.
    Tais setores reacionários e exploradores usarão de todos os meios contra os avanços sociais. Assim, estaremos caminhando para a radicalização, onde sabemos, ao longo da história, onde poderá acabar.

  2. Aureo Ramos de Souza disse:

    E lamentável que uma pessoa de favela, que lutou pela igual da social principalmente pelos negros seja morte brutalmente e ficamos como: INDIGNADO. Escutamos Raul Jugman se pronuncia. Agora vemos que Marielle merece toda nossa comoção e me faz lembrar a morte da menina BEATRIZ que já fazem cinco anos, com retrato falado e ainda não foi solucionado. Espero que o de Marielle seja resolvido assim como ao de BEATRIZ da cidade de Petrolina.

  3. Daniela Villa disse:

    Pode ser o início do fim: só vai haver combate, de fato, à criminalidade no RJ quando as balas perdidas começarem a encontrar os vereadores, deputados, prefeitos, governador, promotores, juízes, desembargadores; enfim, todas aquelas excelências.

  4. Carlos disse:

    A Nova Ordem Mundial está de luto (basta ler o New York Times, ABC e The Washington Post) e Temer também, pois nunca ninguém o viu lamentar a morte de 160 policiais no Rio de Janeiro e muito menos colocar a Policia Federal na procura dos assassinos, para além de nem falar com seus familiares.
    Morre esta negra e a esquerda caviar está feliz em fazer dela uma mártir!

  5. E. Coelho disse:

    É profundamente lamentável o assassinato da vereadora Marielle Franco, do seu motorista Anderson Pedro Gomes, bem como, também é profundamente lamentável a morte dos mais de 60.000 brasileiros anônimos que tombam por ano no Brasil.

  6. Paulo Costa disse:

    As autoridades, pensando em garantir o próprio futuro para si e para suas familias, relegando ao segundo plano o seu compromisso com o eleitorado, deixaram a criminalidade criar “raízes”! E hoje, no futuro, está difícil arrancar essas “árvores” maléficas! E muitos eleitores estão “morrendo” por conta desses frutos malditos!

  7. Jeffwerson Tavares disse:

    É…… Ops!!! Melhor ficar quieto!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *