Início » Brasil » Augusto Aras chama nomes para sua equipe
INDICADO PARA A PGR

Augusto Aras chama nomes para sua equipe

Antes mesmo de ter a indicação submetida à sabatina no Senado, Aras já começou a montar sua equipe com nomes alinhados a Bolsonaro

Augusto Aras chama nomes para sua equipe
Pelo menos duas pessoas já foram procuradas por Aras (Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)

Indicado na semana passada, pelo presidente Jair Bolsonaro, para substituir Raquel Dodge no comando da Procuradoria-Geral da República (PGR), o subprocurador Augusto Aras já começou a montar sua equipe antes mesmo de ter o nome aprovado para o cargo em sabatina no Senado.

Segundo noticiou o Globo, Aras chamou para sua equipe o procurador Ailton Benedito, o chefe da Procuradoria da República em Goiás. Ailton Benedito tem profundo alinhamento com Bolsonaro.

Considerado uma das mais ferrenhas vozes conservadoras dentro do MPF, Ailton Benedito é crítico, por exemplo, do que chama de “duração infinita” da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP). Em agosto deste ano, ele chegou a ser indicado para integrar a comissão pela Secretaria de Proteção Global, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Pasta chefiada por Damares Alves.

A indicação foi endossada por Jair Bolsonaro, mas acabou vetada pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal, que em votação entendeu que a indicação de integrantes para a comissão cabe à PGR, não à Pasta chefiada por Damares.

Em sua conta oficial no Twitter, Ailton Benedito deixa claro seu perfil lavajatista, antipetista, conservador e religioso. Ele também já se posicionou abertamente contra o jornalista Glenn Greenwald, do site “Intercept Brasil”, a quem chama pejorativamente de Verdevaldo – apelido dado ao jornalista por correntes bolsonaristas.

Em uma postagem no último fim de semana, no âmbito da polêmica envolvendo a tentativa do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, de recolher e supervisionar obras presentes na Bienal do Livro, Ailton justificou a ação do prefeito divulgando um link do livro Libido Dominandi, de E. Michael Jones, que classifica a revolução sexual como uma ferramenta de controle político e sustenta que a libido, quando libertada, conduz inevitavelmente à anarquia.

Ailton Benedito confirmou ter sido procurado por Aras, mas disse que ainda não há um cargo definido para ele. “Estamos avaliando como poderei colaborar”, disse ele, ao Globo.

Outro nome chamado por Aras foi o advogado aposentado Eitel Santiago Pereira, que confirmou em uma mensagem no Facebook ter aceitado o convite de Aras para ser o Secretário-Geral do Ministério Público da União. No entanto, ele destaca que tudo ainda depende da aprovação do Senado. “Se isso ocorrer, vou trabalhar com dedicação, para contribuir com a gestão do futuro PGR Aras, que conheço há muitos anos. É um homem culto, experiente e responsável. Atuará, tenho certeza, respeitando os preceitos constitucionais e preocupado em contribuir com o desenvolvimento nacional”, escreveu Santiago na mensagem.

Procuradores protestam contra indicação de Aras

Procuradores dos estados do Rio de Janeiro, Sergipe e Rondônia promoveram atos em protesto contra a indicação de Aras na manhã desta segunda-feira, 9.

Eles protestam contra o fato do presidente ter escolhido um nome de fora da lista tríplice, considerada uma das principais ferramentas para proteger a autonomia do Ministério Público Federal (MPF) de forma a impedir o aparelhamento do órgão pelo governo em curso. 

Desde 2003, o chefe da PGR provém de um dos nomes da lista tríplice, votada em eleição interna da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Com a escolha de Aras, Bolsonaro quebrou essa tradição.

Segundo noticiou o portal G1, a ANPR apontou que a indicação de Bolsonaro gera ameaça de retrocesso democrático e institucional. Com os atos desta segunda-feira, os procuradores esperam enviar um alerta ao Senado.

“O MPF vê [a indicação de Aras] com preocupação diante do discurso de possível interferência à independência funcional. Nosso interesse é garantir que cada procurador da República possa atuar com independência para o enfrentamento de diversas questões problemáticas relacionadas ao meio ambiente, combate da corrupção, e tudo isso demanda uma atuação livre do procurador para agir em defesa da Constituição e das leis brasileiras”, disse o chefe da PR-RO, procurador Daniel Azevedo Lôbo, no ato em Rondônia.

Fontes:
G1-Procuradores protestam contra indicação de Augusto Aras à PGR

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *