Início » Brasil » Autoridades dos EUA repudiam homenagem a Bolsonaro em museu
PESSOA DO ANO

Autoridades dos EUA repudiam homenagem a Bolsonaro em museu

Bolsonaro será homenageado em evento que tem previsão de ocorrer no Museu Americano de História Natural. Museu busca alternativas para evento

Autoridades dos EUA repudiam homenagem a Bolsonaro em museu
Bolsonaro será homenageado em evento da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Foto: Alan Santos/PR)

O Museu Americano de História Natural, em Nova York, nos Estados Unidos, admitiu estar estudando alternativas para o evento que vai homenagear o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. A solenidade tem previsão de ocorrer no próximo mês de maio.

A homenagem em questão é a premiação de Pessoa do Ano, feita pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, que foi anunciada no último mês de fevereiro. O Museu, que é dedicado à natureza e ciências, tem recebido críticas por permitir a realização da solenidade. Pelas redes sociais, o Museu se explicou.

“O evento externo e privado no qual o atual presidente do Brasil deve ser homenageado foi reservado no Museu antes do homenageado ser garantido. Estamos profundamente preocupados, e estamos explorando nossas opções”, escreveu o Museu.

O evento acontece anualmente. Nos anos anteriores, tanto o atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, em 2018, quanto João Dória, em 2017, compareceram à cerimônia. A solenidade sempre homenageia uma autoridade americana e uma brasileira.

As principais críticas que o Museu tem recebido dizem respeito às políticas ambientais de Bolsonaro. Segundo o Museu, a solenidade “não reflete de forma alguma a posição do Museu de que há uma necessidade urgente de conservar a Floresta Amazônica, que tem profundas implicações para a diversidade biológica, comunidades indígenas, mudanças climáticas e futuro do nosso planeta”.

Além da entidade, o prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, – que é crítico ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump – também citou o risco que Bolsonaro oferece a Amazônia, relembrando que ele é “a pessoa com maior poder de impacto” no local. Ademais, apontou o “racismo e homofobia evidentes”, segundo disse em entrevista à rádio WNYC.

“Se você está falando de uma instituição apoiada publicamente e está falando sobre alguém que está fazendo algo tangivelmente destrutivo, fico desconfortável com isso, e eu certamente pedirei ao museu que não permita que ele seja hospedado lá”, afirmou o prefeito.

De acordo com Beka Economopoulos, que é diretora de um museu itinerante, alguns membros do museu estavam organizando oposição ao evento que homenageará Bolsonaro. O Museu Americano de História Natural não admitiu a possível oposição, mas revelou que tratou do assunto com sua equipe, enviando uma carta dizendo que compartilhavam de “uma profunda preocupação com os planos atuais”.

Fontes:
The New York Times-Gala Honoree Causes Concern at American Museum of Natural History

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Marcelo disse:

    Parabéns ao pessoal do Museu. Onde já se viu sujeito que provavelmente não aceita a Teoria da Evolução e admira gente que acredita na Terra Plana ser homenageado num museu científico?

  2. GUILHERME SILVEIRA disse:

    O tal Marcelo, de pouca imaginação, está inventando mentiras obviamente idiotas. Muito provavelmente é seguidor do ex-presidente Lula, que está preso, condenado pela justiça em 1a. e 2a. instâncias e que ainda responde a outros processos por mega roubalheira no banco do governo federal, o BNDES, em “empréstimos” a ditaduras de esquerda obviamente sem condição para pagar de volta. Ou ataca Bolsonaro por ódio ao presidente Trump, em vista da imensa e calorosa recepção que este deu ao presidente brasileiro quando de sua recente visita aos EEUU.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *