Início » Brasil » Bebianno diz que foi demitido por Carlos Bolsonaro
EM ENTREVISTA

Bebianno diz que foi demitido por Carlos Bolsonaro

'Fui demitido pelo Carlos Bolsonaro, simples assim', disse o agora ex-ministro

Bebianno diz que foi demitido por Carlos Bolsonaro
Bebianno foi demitido do cargo nesta segunda-feira, 18 (Fonte: Reprodução/Valter Campanato/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em entrevista à rádio Jovem Pan nesta terça-feira, 19, o ex-ministro da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno disse que foi demitido do cargo por Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro.

Bebianno afirmou ainda que tem “amor” e “afeto” por Bolsonaro e que não tem dúvida de que o governo “será um sucesso”.

Após se envolver em uma crise com Carlos Bolsonaro, Bebianno foi demitido do cargo nesta segunda-feira, 18. A exoneração do agora ex-ministro foi confirmada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.

Na semana passada, o vereador Carlos Bolsonaro utilizou as redes sociais para dizer que Bebianno havia mentido ao afirmar em entrevista ao jornal O Globo que tinha conversado três vezes com o presidente Jair Bolsonaro. Áudios divulgados nesta terça pelo site da revista Veja revelam que Bolsonaro trocou pelo menos três mensagens de áudio de WhatsApp com Bebianno no último dia 12, quando ainda estava hospitalizado.

“Fui demitido pelo Carlos Bolsonaro, simples assim. Não era nem para ter assumido, nunca pedi nada ao presidente desde o primeiro dia que comecei a ajudá-lo, não queria nada”, disse Bebianno à Jovem Pan. O agora ex-ministro afirmou ainda que “Carlos tem um nível de agressividade acima do normal. No Rio de Janeiro, ele é conhecido como ‘o destruidor de reputações’. Se você ouvir os próprios membros do PSL no Rio de Janeiro, muitas pessoas foram atacadas de forma muito forte, veemente e sem nenhum motivo, pelo Carlos”.

Bebianno também falou sobre a suspeita em relação a candidaturas de “laranjas” em Pernambuco quando era presidente interino do PSL nacional durante a campanha eleitoral “Esse problema desse suposto laranjal , que na verdade eu acho que não existe, ele estava localizado lá em Pernambuco, isso era responsabilidade do diretório estadual de Pernambuco e das duas candidatas que foram indicadas por esse diretório. Cada diretório estadual é responsável pela faixa que monta”, ressaltou.

Apesar de ter deixado o governo, Bebianno disse que não irá “atacar em nada” o presidente Jair Bolsonaro.

Fontes:
G1 - Bebianno afirma ter sido demitido pelo filho de Bolsonaro e diz ter 'afeto' pelo presidente

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *