Início » Brasil » Belo Monte atrasa realocação de famílias deslocadas pelo projeto
Belo Monte

Belo Monte atrasa realocação de famílias deslocadas pelo projeto

Das mais de 5 mil famílias que tiveram de sair de suas casas para dar espaço ao reservatório da usina, menos de 300 foram realocadas

Belo Monte atrasa realocação de famílias deslocadas pelo projeto
Até o momento, nem 10% das famílias afetadas pela construção da usina foram realocadas (Reprodução/Internet)

Nesta terça-feira, 5, Dilma Rousseff visitará as obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. A viagem da presidente inclui uma passagem pelos novos endereços de 5.241 famílias que tiveram de sair de suas casas para dar espaço ao futuro reservatório da usina. Dessas famílias, menos de 300 foram realocadas pelo Consórcio Norte, responsável pela hidrelétrica, que fica em Altamira, Pará.

A Norte Energia tem uma lista de obras compensatórias assumidas que ainda não foram cumpridas. Uma delas é o atraso em concluir a mudança de aproximadamente 20 mil pessoas deslocadas pelo projeto. Até o momento, nem 10% das famílias trocaram de endereço.

As dificuldades em concluir os trabalhos passam pela elaboração do chamado “cadastro socioambiental”, um banco de dados que reúne informações de todos aqueles que foram afetados pela obra. É a partir desse levantamento que a Norte Energia orienta suas ações.

A nova meta do consórcio é concluir esse processo até o final deste ano, mas não será fácil. Entre agosto e dezembro teriam de ser reassentadas 942 famílias por mês. a avaliação da Norte Energia é de que o processo deve ganhar ritmo após a etapa inicial de alocações, considerada mais complexa.

“Isso explica muito bem por que o atraso de quase um ano do projeto. A questão social é mais sensível. Por lei, a Norte Energia já deveria ter publicado a lista completa do cadastro social, em toda região, para que todos pudessem vê-la. A única coisa que vimos foram listas parciais, em apenas alguns locais”, diz Biviany Rojas, advogada do Instituto Socioambiental.

Entre dezembro de 2013 e fevereiro 2014, o Ibama impôs três multas ao consórcio. A mais recente foi em fevereiro, no valor de R$ 2,5 milhões.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Mauricio Fernandez disse:

    Não é incompetência não! Está tudo nos cálculos. A Usina sai de graça para as construtoras. Que o diga Lobão.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *