Início » Brasil » Boeing e Embraer negociam parceria
NEGÓCIOS

Boeing e Embraer negociam parceria

Fabricantes de avião anunciaram que iniciaram conversas referentes a uma ‘potencial combinação de seus negócios’

Boeing e Embraer negociam parceria
Governo aprova parceria, mas descarta venda da Embraer (Foto: Antônio Milena/ABr)

A fabricante de avião americana Boeing e a brasileira Embraer anunciaram que iniciaram tratativas referentes a uma “potencial combinação de seus negócios”.

A negociação da parceria foi divulgada na última quinta-feira, 21, no jornal Wall Street Journal, e confirmada em uma nota conjunta das fabricantes no mesmo dia.

“Boeing e Embraer confirmaram que as duas companhias encontram-se em tratativas em relação a uma potencial combinação de seus negócios, em bases que ainda estão sendo discutidas. Não há garantia de que qualquer transação resultará dessas discussões”, disse o comunicado, ressaltando que “qualquer transação estaria sujeita à aprovação do governo brasileiro”.

A parceria entre a Boeing e a Embraer é uma resposta da fabricante americana à união entre a Airbus e a canadense Bombardier, anunciada há dois meses. O governo brasileiro aprovou a negociação da parceria, mas descartou qualquer possibilidade de venda da Embraer. Isso porque a empresa é considerada essencial para a defesa do país. O comando da Aeronáutica, por exemplo, considera a Embraer “uma empresa estratégica e fundamental para a soberania nacional”.

De qualquer forma, um acordo entre as duas fabricantes terá de ter o aval do governo brasileiro. Embora a Embraer tenha sido privatizada em 1994, o governo brasileiro detém uma ação especial (chamada golden share) que lhe concede direito a veto em decisões importantes, como a criação ou alteração de programas militares e transferência de controle acionário.

A Embraer tem valor de mercado estimado em US$ 3,7 bilhões e no ano passado teve uma receita líquida de R$ 21,436 bilhões. É terceira maior fabricante de aviões do mundo, atrás apenas da Airbus (2ª) e da Boeing (1ª). Além disso, ela compete no mercado de jatos regionais com a Bombardier, líder no setor e quarta maior fabricante de aviões do mundo.

O anúncio da possível parceria fez as ações da Embraer dispararem mais de 21% na Bovespa. Já na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), as ações da empresa subiram 26%

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Jorge Cardillo disse:

    Se isto evoluir certamente será a compra da Embraer pela Boeing. Esta conversa de juntar esforços, cooperação etc é para não assustar os acionistas e clientes. Já vimos isto com a compra do UNIBANCO pelo ITAU, Antártica pela Ambev e etc.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *