Início » Brasil » Bolívia entra definitivamente no Mercosul
América Latina

Bolívia entra definitivamente no Mercosul

Desde 1996, o país é associado ao grupo e pode participar como convidado das reuniões que tratem de interesses em comum

Bolívia entra definitivamente no Mercosul
O presidente boliviano, Evo Morales (Foto: Flickr/Sebastian Baryll)

A 48° edição do encontro da cúpula dos chefes de Estado do Mercosul  selou a entrada da Bolívia como membro pleno do grupo. O encontro aconteceu em Brasília na última quinta-feira, 16 e nesta sexta, 17. Desde 1996, o país é associado ao grupo e pode participar como convidado das reuniões que tratem de interesses em comum.

Apesar da adesão definitiva da Bolívia já ter sido discutida no último encontro, em dezembro do ano passado, ainda não havia sido decidida uma data para a admissão do país. Agora, o bloco conta com seis membros fixos, além do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Para ser parte do Mercosul, o país em questão precisa receber aprovação de todos os demais. No fim do ano passado, quase todas as comitivas internacionais já haviam aceitado a inclusão da Bolívia no bloco, menos a paraguaia, já que ela estava suspensa.  A suspensão do Paraguai aconteceu em 2012 com a remoção de Fernando Lugo da presidência do país, tendo gerado uma crise diplomática internacional com os países sul-americanos.

A cúpula ocorre a cada seis meses. A última ocorreu em dezembro na cidade argentina de Paraná, a 500 km de Buenos Aires. Os presidentes do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela e da Bolívia, como Estado em processo de adesão, marcaram presença no encontro.

Fontes:
Valor Econômico-Bolívia será oficializada como membro pleno do Mercosul

2 Opiniões

  1. Marcos Pinheiro disse:

    Agora a quadrilha está quase completa!

    O Cocalero, A lunática, A Latrocida, O Canalha, O Bandido Velho e O Alienado! Eita América Latina, caminhando unida para a ruína e a mediocridade!

  2. jayme endebo disse:

    Agora a cocaína vai sair mais barata e livre de alfandega

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *