Início » Brasil » Bolsonaro eleva gastos com desfile de 7 de setembro
DIA DA INDEPENDÊNCIA

Bolsonaro eleva gastos com desfile de 7 de setembro

Serão gastos R$ 971,5 mil com a cerimônia, que será usada para reforçar discurso em defesa da soberania, em especial em questões ambientais e na Amazônia

Bolsonaro eleva gastos com desfile de 7 de setembro
Aumento no custo ocorre num momento de contenção de gastos (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O governo federal vai aumentar os gastos com o desfile de Sete de Setembro, em homenagem à Independência do Brasil. Ao todo, Jair Bolsonaro vai gastar 15% a mais do que seu antecessor, Michel Temer (MDB).

Enquanto Temer desembolsou R$ 842,3 mil, Bolsonaro vai direcionar R$ 971,5 mil para a cerimônia, segundo informações da Folha de S.Paulo. O aumento no custo do desfile vem num momento em que o principal discurso do governo gira em torno de contenção de gastos.

A estimativa é que a parada de Sete de Setembro reúna cerca de 30 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios. Cerca de 3 mil militares vão participar do evento, que deve durar uma hora e 20 minutos. O desfile será encerrado pela Esquadrilha da Fumaça.

Segundo assessores do Planalto, ouvidos pela Folha, o presidente pretende usar o desfile deste ano para reforçar seu discurso em defesa da soberania, em especial em questões ambientais e na Amazônia.

“A comemoração tradicionalmente reúne civis e militares. Nós deveríamos sempre que possível clarificar como a mais importante data a ser comemorada por toda a nação brasileira”, afirmou o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, em entrevista à Folha.

Falta de verbas 

Na última segunda-feira, 2, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) anunciou o congelamento de mais 5,6 mil bolsas, totalizando 11 mil bolsas bloqueadas no ano.

Já o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, confirmou que a verba para o pagamento de bolsas a pesquisadores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) termina no fim de agosto.

Também na última segunda-feira, Bolsonaro afirmou que não será anunciado um pacote de proteção ambiental. Mesmo com os ministros viajando para a região amazônica, o objetivo da ação é somente colher dados, pois faltam recursos para novas medidas.

Até mesmo as Forças Armadas estão sendo impactadas pela falta de recursos do governo federal. O general Edson Pujol, comandante do Exército, autorizou que não haja expedientes às segundas-feiras do mês de setembro.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Roberto disse:

    Elevou gastos pra comemorar 7de Setembro??
    Mais que o Temer??
    ……..
    E os gastos feitos nos anos anteriores com jantareis no Palácio??
    E as lagostas e vinhos importamos do STF??
    E os hotéis de luxo com comitivas ENORMES no exterior??

    Façam-me o favor né….

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *