Início » Brasil » Bolsonaro promete ‘tomar conhecimento’ de prova antes do Enem
ENEM 2019

Bolsonaro promete ‘tomar conhecimento’ de prova antes do Enem

Presidente eleito criticou questão do Enem 2018 e prometeu que não terá ‘questão dessa forma no ano que vem’

Bolsonaro promete ‘tomar conhecimento’ de prova antes do Enem
Bolsonaro já havia usado as redes sociais para criticar a questão (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), criticou, na última sexta-feira, 9, uma questão do Enem 2018. Como promessa, o novo chefe de Estado, que assume a presidência da República no início de 2019, disse que sua equipe vai “tomar conhecimento da prova antes” para impedir questões do gênero.

“Essa prova do Enem, vão falar que eu estou implicando, mas, pelo amor de Deus, esse tema, a linguagem particular daquelas pessoas [LGBTs], o que nós temos a ver com isso, meu Deus do céu? A gente vai ver a tradução daquelas palavras, um absurdo. Vai obrigar a molecada a se interessar por isso agora para o Enem do ano que vem? Pode ter certeza, fique tranquilo, não vai ter questão dessa forma ano que vem. Nós vamos tomar conhecimento da prova antes. Não vai ter isso daí”, afirmou Bolsonaro através de uma live (vídeo transmitido ao vivo pelas redes sociais).

A pergunta em questão abordava o “pajubá, o dialeto secreto dos gays e travestis”, indagando os alunos sobre os motivos para a linguagem ser um “elemento de patrimônio linguístico”. Segundo o portal Uol, diferentes professores defenderam a questão, que tinha como foco a interpretação de texto.

Em uma nota ao portal G1, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) esclareceu que as questões do Enem são escolhidas por um pequeno grupo do Instituto. Ademais, apontou a necessidade em manter o sigilo da prova – que já passou por problemas de vazamento no passado.

“Atualmente, por procedimentos previamente definidos para garantir o sigilo do Exame, apenas o Inep e parte da equipe da Gráfica contratada pelo INEP têm acesso à prova em ambientes restritos dentro do Inep e da gráfica. Todo processo de produção da prova conta com consultoria especializada de empresas de gestão de riscos que atestam a conformidade das etapas e indicam procedimentos que devem ser seguidos com vistas à manutenção do sigilo”, apontou o Inep, em nota.

De acordo com Bolsonaro, o Enem do próximo ano terá questões que são voltadas “ao futuro da nossa geração” e não “questões menores”. Ademais, segundo o presidente eleito, esse tipo de pergunta estimula discussão entre pessoas que pensam diferente.

“Ideologia de gênero, que importância tem isso? Vá ser feliz, cara. Se você quer ser feliz com outro homem, vá ser feliz. Se você, mulher, quer ser feliz com outra mulher, vá ser feliz. Agora, não fica perturbando isso nas escolas, obrigando a criançada a estudar uma besteira que não vai levar a lugar nenhum. Quem ensina sexo é papai e mamãe e ponto final. Acabou. Não tem mais que discutir esse assunto”, afirmou o presidente eleito.

Por fim, falando sobre a indicação dos responsáveis pelos seus futuros ministérios, Bolsonaro revelou que procura um ministro da Educação “com autoridade e que realmente entenda que nós somos um país conservador”.

No último dia 6 de novembro, Bolsonaro já havia usado as redes sociais para criticar a questão sobre a linguagem no Enem. Em sua postagem, o presidente eleito questionou a razão para “incluir ideologia e politicagem nos testes que medem o conhecimento dos nossos alunos”.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Almanakut Brasil disse:

    E tem país corrupto que aceita aluno do Enem com nota baixa, para ficar mamando em auxílio de bolsa no exterior!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *