Início » Brasil » Bolsonaro vai à Bahia para inauguração de aeroporto
EM MEIO À POLÊMICA

Bolsonaro vai à Bahia para inauguração de aeroporto

'Eu amo o Nordeste. Minha filha tem em suas veias sangue de cabra da peste', diz Bolsonaro em inauguração de aeroporto em Vitória da Conquista

Bolsonaro vai à Bahia para inauguração de aeroporto
Governador da Bahia e filha de cineasta confirmaram ausência em evento (Foto: Alan Santos/PR)

O presidente Jair Bolsonaro participou nesta terça-feira, 23, da inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA). A viagem à Bahia foi feita em meio à tensão do presidente com o povo e políticos nordestinos.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), não compareceu à solenidade de inauguração e criticou a forma como o evento foi realizado. De acordo com o governador, a solenidade deveria contar com a presença do povo, não apenas com pessoas “escolhidas a dedo”.

“Exercitando a boa educação que aprendi, convidei o governo federal a se fazer presente no ato de inauguração, nessa grande festa. Infelizmente confundiram a boa educação com covardia. E, desde então, temos presenciado agressões ao povo do nordeste e ao povo da Bahia. A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo, como se fosse uma convenção política-partidária. Não posso concordar com isso. Por isso, não vou comparecer a inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu, que o governo do estado construiu. Porque entendo que o Brasil precisa de paz, para crescer e para gerar emprego”, afirmou Rui Costa em um vídeo divulgado nas redes sociais.

A denúncia de Rui Costa sobre pessoas “escolhidas a dedo” é referente ao fato de que, a princípio, o evento contaria com a presença de 300 pessoas. Porém, o Planalto decidiu dobrar esse número para 600 e escalou rivais de Costa para discursar. O governador se queixou da mudança na lista de convidados. Isso porque, enquanto o número de críticos aumentou, a cota do governador baiano subiu de 70 para apenas 100 convidados. Ou seja, na prática, a presença de seus apoiadores frente aos críticos encolheu.

As obras para a construção do aeroporto foram iniciadas em 2009, ainda no governo Lula, quando o governador da Bahia era o senador Jaques Wagner (PT-BA). De acordo com Rui Costa, a última parcela para o fim da construção da estrutura foi paga durante o governo Temer, em novembro de 2018. Wagner, assim como Rui Costa, também criticou a forma como a solenidade foi planejada.

“Rui foi correto [em não comparecer]. Na medida que não deram a Vitória da Conquista o tamanho que Vitória da Conquista merece, ele preferiu não participar de uma festa muito miúda para o tamanho do aeroporto de Vitória da Conquista. Mas o que interessa é que logo vão começar a chegar os voos e Conquista, mais do que já é, vai ser um polo regional da maior importância no sudoeste baiano”, destacou Wagner.

Bolsonaro, por sua vez, também usou as redes sociais para falar sobre o assunto. De acordo com o presidente, o governador Rui Costa não autorizou a presença da Polícia Militar para fazer a segurança da comitiva presidencial, o que classificou como uma “lamentável decisão”. “Pior ainda, passou a responsabilidade de tal negativa ao seu Comandante Geral”, acusou o chefe de Estado.

Em entrevista à rádio Metrópole, da Bahia, Rui Costa confirmou que a Polícia Militar (PM) não fará a segurança da comitiva presidencial. De acordo com o governador, “se o evento é exclusivamente federal, as forças federais que cuidem da segurança do presidente”, apontou, destacando ainda que não pode colocar a PM para “espancar o povo baiano que quer conhecer o aeroporto”.

“Eu amo o Nordeste”

Durante a inauguração do aeroporto, Bolsonaro fez um discurso no qual tentou afastar as acusações de preconceito contra nordestinos. O presidente declarou amor ao Nordeste, região que visita pela segunda vez desde que assumiu a presidência, e voltou a lembrar que sua filha mais nova é neta de um nordestino.

“Eu amo o Nordeste, afinal de contas, a minha filha tem em suas veias sangue de cabra da peste. Cabra da peste de Crateús, o nosso estado aqui, mais pra cima, o nosso Ceará. […] Não estou em Vitória da Conquista, não estou na Bahia, nem no Nordeste. Estou no Brasil. Não há divisão entre nós: sexo, raça, cor, religião ou região”, disse Bolsonaro.

A presença do presidente na inauguração do aeroporto dividiu o povo baiano nas redes sociais. Através das hashtags “#VitóriaDaConquista” e “#BolsonaroNaBahia”, milhares de internautas criticaram ou celebraram a participação de Bolsonaro na solenidade de inauguração.

Ancine

Além da tensão com o povo nordestino, Bolsonaro também encara críticas por sua forma de atuação em relação à Agência Nacional do Cinema (Ancine). Opositores acusam o governo Bolsonaro de tentar censurar as produções nacionais impulsionadas pela entidade.

“A Ancine vem para Brasília ou vai ser privatizada. O poder público não tem que ficar se metendo em tudo. Outra coisa, dinheiro público para fazer filme pornô não. Não existe censura da minha parte. Ninguém falou ‘não faça filme da Bruna Surfistinha’. O que eu falei foi o seguinte: com dinheiro público, não pode fazer esse tipo de filme”, afirmou Bolsonaro.

Ao comparecer à inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, Bolsonaro reacendeu a polêmica sobre o cinema nacional. Isso porque Glauber Rocha foi um famoso diretor de cinema brasileiro, nascido em Vitória da Conquista, condecorado com diferentes prêmios por suas produções, tanto ficcionais, quanto documentais. O deputado federal Waldenor Pereira (PT-BA) chamou a atenção para esse fato.

“Precisa conhecer o nome do Aeroporto. É Glauber Rocha, cineasta baiano, filho de Vitória da Conquista, grande combatente do fascismo e populismo que você representa. Mas, a família Glauber Rocha pode ficar tranquila, as baianas e baianos não deixarão você manchar a sua memória”, escreveu o parlamentar.

O comentário de Waldenor Pereira se confirmou após, segundo a Folha de São Paulo, Paloma Rocha, uma das filhas do cineasta Glauber Rocha, cancelar a presença no evento.

Leia também: Ao boicotar o cinema nacional, Bolsonaro dá as costas para mercado bilionário
Leia também: Cinema brasileiro: da chanchada ao cult

Fontes:
G1-'Eu amo o Nordeste', diz Bolsonaro em visita à Bahia após polêmica sobre governadores da região

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *