Início » Brasil » Bonde dos 150 mil empregos baixa em Brasília
Coluna Esplanada

Bonde dos 150 mil empregos baixa em Brasília

Pelo menos 120 empresários da indústria de máquina e equipamentos de São Paulo fretaram um Boeing e aterrissam em Brasília para pressionar os congressistas

Bonde dos 150 mil empregos baixa em Brasília
Crise preocupa setor de máquinas e equipamentos (Fonte: Reprodução/Getty Images)

A preocupação do setor é tamanha com a crise e a mudança nos benefícios na folha de pagamento que uma turma de peso baixa hoje em Brasília. Pelo menos 120 empresários da indústria de máquina e equipamentos de São Paulo fretaram um Boeing e aterrissam em Brasília para pressionar os congressistas. O setor ameaça demitir 150 mil funcionários — boa parte já em aviso prévio. Quer propor a manutenção da desoneração da alíquota previdenciária. A pauta está no Senado, mas a turma é liderada pelo deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS), que lança a frente em defesa do grupo.

CPI dos bilhões…

DEM e PMDB brigam pela presidência da CPI dos Fundos de Pensão. Em disputa, o direito de se reunir com os financiadores de campanha a um ano da eleição municipal.

…e bilhões

De primeiro mandato, Marcos Rotta (PMDB-AM) vai presidir a CPI do BNDES. Saiu meio assustado da reunião de líderes, mas topou. ‘Quinta-feira já instalamos!’.

Mi(co)ckey

Com a alegação de que foi buscar dinheiro para o Piauí no Banco Mundial, o governador Wellington Dias ficou dez dias de descanso nos Estados Unidos.

De cabeça pra baixo

Não bastasse o clima beligerante do Congresso com o Planalto, está tudo de cabeça para baixo no Governo. O chefe da Casa Civil manda na presidente, que não manda em ninguém; o ministro do Planejamento manda no da Fazenda — que faz papel de articulador. E o clima de guerra com o Legislativo é tamanho que quem defende oficialmente o Planalto na coletiva é o ministro da Defesa e Soberania Nacional.

Síndrome da estrela

Não raro um artista dá piti se não é reconhecido em público. Ontem o ministro do STJ Napoleão Nunes Maia Filho passou na presidência da Câmara para um ‘oi’ a Eduardo Cunha. Fechou a cara ao ouvir ‘tem um Napoleão aí fora’. Demorou para entrar.

Virou moda

Após o governador gaúcho José Ivo Sartori dar a corajosa largada de anunciar o possível parcelamento dos salários de servidores e parar o estado, outro ‘suicida’ entrou na onda. O governador sergipano Jackson Barreto ensaia o mesmo.

‘Carandiru’

Os funcionários da Infraero apelidaram de Carandiru (o demolido presídio de SP) o hangar da extinta Transbrasil que será nova sede — ao custo de R$ 300 mil/mês.

Fiquei

Um ex-parlamentar amigo e bom negociador junto a Ricardo Pessoa (UTC) em São Paulo se mantém fora do Brasil. De lá, pergunta a amigos como andam as coisas.

Presentão

A Uninove, com sede em São Bernardo do Campo, terra de Lula, do ministro Edinho Silva e do ministro da Saúde, Arthur Chioro, ganhou do MEC a concessão de cinco faculdades de medicina. A mensalidade não sai por menos de R$ 4 mil.

No Superávit?

O PPS banca projeto de lei (2217/15) para que o Governo interrompa arrecadação do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) junto a emissoras de rádio e TV, até que se elucide onde e como foram investido os bilhões de reais.

Data Venia

O ministro Marco Aurélio Mello avisa, com razão, que apesar de primo do senador Collor e indicado por ele para o STF, sempre se colocou sob suspeição para julgar algo que envolva o político. A despeito de ter sido signatário dos mandados da penúltima fase da Lava Jato, não foi Aurélio e sim o ministro Celso de Mello quem ordenou as buscas na casa do senador alagoano.

Blindado pela menoridade

Conta um senador que o ascensorista do Senado Paulo Pontes o convenceu sobre a redução da maioridade penal. Um menor no DF matou um irmão dele, foi detido, internado por três meses, voltou para a rua e matou outro irmão do servidor.

Segue a novela

Detido novamente após o segundo homicídio, o menor avisou ao ascensorista: ‘quando sair, vou abater você!’.

O que vem aí

Na volta dos trabalhos parlamentares ontem os senadores e deputados não falavam em outra coisa. Nada de pauta bomba. Todos citam o protesto contra o Governo do dia 16.

Ponto Final

Residente em medicina nos hospitais paulistanos, a deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) visitou uma amiga enferma em Brasília e fez as vezes de doutora, verificando prontuários.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *