Início » Brasil » Brasil aposta alto no investimento privado em infraestrutura
Plano de concessões

Brasil aposta alto no investimento privado em infraestrutura

Após anos de intervenção e desconfiança, o governo parece disposto a retomar a relação com o setor de negócios

Brasil aposta alto no investimento privado em infraestrutura
A promessa é de uma regulação governamental mais flexível (Foto: ABr)

A infraestrutura brasileira é precária e insuficiente. Em uma análise feita no ano passado pelo Fórum Econômico Mundial, o Brasil ficou em 120º lugar, entre 144 países, em qualidade de infraestrutura.

A presidente Dilma Rousseff decidiu enfrentar o problema. Deixando de lado sua ideologia esquerdista ela anunciou um pacote de concessões para atrair o investimento privado para o setor. Estima-se um investimento de R$ 198,4 bilhões.

A presidente já havia lançado um pacote similar em 2012, atraindo apenas um quinto do investimento esperado. Agora, o governo decidiu mudar o modelo do plano, deixando o setor privado assumir o controle.

O governo vai reduzir o papel de empresas públicas que administram ferrovias e metrôs e a dependência dos empréstimos do BNDES. A promessa é de uma regulação governamental mais flexível. Após anos de intervenção e desconfiança, o governo parece disposto a retomar a relação com o setor de negócios.

Como resultado, será mais fácil encontrar investidores para aeroportos, estradas e portos de cidades de médio porte. Assim como os grandes centros urbanos, as cidades de médio porte são geradoras de renda, mas precisam expandir e ter uma gestão mais eficiente.

A grande dúvida está no investimento em ferrovias, foco do pacote. Quase metade do investimento será destinado às ferrovias. Somado a isso, outros R$ 40 bilhões serão investidos em uma parceria com a China em um projeto ferroviário para ligar o oceano Atlântico ao Pacífico. Porém, a expansão do Canal do Panamá pode tornar o negócio economicamente inviável. Mesmo que isso não aconteça, as obras só ocorrerão após Dilma deixar a Presidência, em 2018.

Fontes:
The Economist-Delays ahead

1 Opinião

  1. Carlos U Pozzobon disse:

    Palhaçada. Somente um governo destituído de escrúpulos pode anunciar investimentos que será realizado pelo seu sucessor. Como a gastança com a companheirada deixou o governo nos niqueis, a solução foi espichar o orçamento para as calendas. Ânimo minha gente, até o ano 3000 vocês estarão ricos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *