Início » Brasil » Brasil está entre os 10 países mais perigosos para ser jornalista
Jornalismo

Brasil está entre os 10 países mais perigosos para ser jornalista

Pesquisa revela aumento do número de casos de sequestros de jornalistas no mundo

Brasil está entre os 10 países mais perigosos para ser jornalista
Cinegrafista Santiago Andrade morreu no início do ano (Reprodução/ Agência O Globo)

O Brasil aparece na décima posição da lista dos países mais perigosos para um jornalista atuar, com quatro mortos em 2014. Neste ano, Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, Pedro Palma, José Lacerda da Silva, da TV Cabo Mossoró, e Geolino Xavier, da TV N3, da Bahia morreram.

Desde 2009, o Brasil acumulou 31 mortos entre os jornalistas, o que coloca o país como o sexto mais violento. Os dados são da entidade Press Emblem Campaing (PEC), que compila anualmente o número de mortes entre jornalistas em atividade.

No mundo:

A PEC aponta 128 jornalistas assassinados em 2014, marca próxima ao recorde de 2013 de 129 casos de morte. Gaza lidera a lista, com 16 mortes, durante as operações de Israel. Depois vem a Síria, com 13 casos e o Paquistão, com 12. Na quarta posição, vem o Iraque com dez mortes neste ano de operação contra as milícias islâmicas. Fora da região, a Ucrânia é o país mais violento com nove casos.

Nesta terça-feira, 16, A ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF) divulgou seu relatório anual sobre a violência contra a imprensa em todo o mundo. Segundo a entidade, 66 jornalistas foram mortos, 119 foram sequestrados e 178 foram encarcerados em 2014. Houve uma redução do número de jornalistas assassinados em 2014, mas seguido de um aumento de sequestros, se comparado com os dados do ano passado. Em 2014, 66 jornalistas foram assassinados contra 71 no ano passado, enquanto o número de sequestrados aumentou de 87 para 119 casos.

Apesar do número de mortes ter diminuído, a RSF revela uma mudança no tipo de violência sofrida pelos profissionais do setor, “com assassinatos cada vez mais bárbaros”. “Repórteres têm sido ‘instrumentalizados’ na propaganda de grupos extremistas, vítimas de ameaças e decapitações filmadas”, diz o relatório.

Fontes:
O Tempo- Brasil é 10º lugar mais perigoso para ser jornalista
EBC- Há menos mortes e mais sequestros de jornalistas em 2014, diz organização
RFI- Número de jornalistas mortos no Brasil recua em 2014, segundo a RSF
RTP Notícias- Menos mortes e mais sequestros de jornalistas em 2014 - Repórteres Sem Fronteiras
Jornal do Brasil- RSF aponta que 66 jornalistas foram mortos em 2014

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *