Início » Brasil » Brasil e Uruguai buscam flexibilizar Mercosul
MERCOSUL

Brasil e Uruguai buscam flexibilizar Mercosul

Temer e Vázquez querem que cada integrante do bloco possa fazer acordos comerciais com outras nações sem que todos os sócios tenham que participar

Brasil e Uruguai buscam flexibilizar Mercosul
Michel Temer e Tabaré Vazquez (Foto: Beto Barata/PR)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na última segunda-feira, 19, o presidente Michel Temer se encontrou com o líder uruguaio Tabaré Vázquez, em Nova York. Na ocasião, eles decidiram buscar a flexibilização dos países do Mercosul para que cada integrante possa fazer acordos comerciais com outras nações sem que todos os sócios tenham que participar.

Leia mais: Fundadores do Mercosul bloqueiam presidência da Venezuela
Leia mais: Mercosul se reúne para discutir presidência colegiada
Leia mais: Itamaraty quer que Brasil faça acordos sem aval do Mercosul

Atualmente, qualquer negociação comercial com outros países tem que ser feita com a participação da Argentina, do Brasil, do Paraguai e do Uruguai, que são os sócios fundadores. Em condições normais, a Venezuela também deveria participar da decisão. No entanto, o país está virtualmente suspenso do bloco.

O encontro entre os presidentes ajudou a superal o mal-estar entre os dois países após o impeachment de Dilma Rousseff. O governo uruguaio considerou a situação uma “grande injustiça”. “O Brasil é nosso principal comprador junto com a China. E, se nos damos mal com o Brasil, onde vamos vender o que vendemos a eles? À parte discrepâncias políticas momentâneas, temos que olhar para frente no relacionamento com o Brasil”, disse Vázquez.

Além disso, o encontro também ratificou que o Uruguai vai continuar coordenando as negociações do bloco com a União Europeia, apesar de não ser mais o presidente do Mercosul.

Vázquez também disse que a Frente Ampla, coalizão esquerdista da qual faz parte, aceitou a solução encontrada pelos chanceleres do Mercosul. Segundo a decisão, a Venezuela tem até dezembro para incorporar à sua legislação interna o conjunto de normas do bloco, conforme se comprometeu ao ser admitida há quatros anos.

Caso ela não faça isso, o país será suspenso. No entanto, essa situação parece inevitável, já que com a profunda crise em que vive, o país não deve ter condições de adotar medidas de grande alcance.

O presidente uruguaio também aceitou o convite de Temer para visitar o Brasil. Porém, a visita só deve ocorrer no ano que vem.

Fontes:
Folha de S.Paulo-Brasil e Uruguai se reúnem e buscam plano para flexibilizar Mercosul
Planalto-Em reunião com Temer, presidente uruguaio pede intensificação das relações

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *