Início » Brasil » Brasil lidera ranking de assassinatos em áreas rurais
ÁREA RURAL

Brasil lidera ranking de assassinatos em áreas rurais

O número de assassinatos em áreas rurais ao redor do mundo aumentou em 59% quando comparado com o ano anterior

Brasil lidera ranking de assassinatos em áreas rurais
Estima-se que 80% da madeira extraída no Brasil seja fruto de operações ilegais (Foto: Pixabay)

Pela quinta vez, o Brasil lidera o ranking de assassinatos provocados por disputas de território rural, segundo o relatório “On dangerous ground” (em território perigoso, em tradução livre), da ONG Global Witness.

Segundo a ONG, 185 pessoas morreram em situações de violência no campo ao redor do mundo em 2015. Estas mortes aconteceram em 16 países e o número de mortes é 59% maior do que o de 2014. Além disso, 40% das vítimas contabilizadas em todo mundo, em 2015, eram indígenas, segundo o relatório. “O frágil direito à terra e o seu isolamento geográfico fazem com que esse grupo seja um alvo frequente da apropriação ilegal das terras e de recursos naturais”, afirma o documento.

O Brasil lidera o ranking com 50 mortes, e os estados mais violentos do país são Rondônia e Pará, com 20 e 19 mortes, respectivamente. No entanto, a entidade aponta que o número real de mortes tende a ser bem maior, já que os casos costumam ser subnotificados. Depois do Brasil, vem as Filipinas com 33 assassinatos, seguida pela Colômbia com 26, o Peru e a Nicarágua, ambos com 12, e a República Democrática do Congo com 11.

Estima-se que 80% da madeira extraída no Brasil seja fruto de operações ilegais, o que representa 25% da madeira ilegal no mercado mundial, cujos maiores compradores são os Estados Unidos, a China e o Reino Unido.

Para piorar, a Global Witness alerta para a falta de investigação de crimes relacionados aos conflitos de terra no país e pede maior proteção a ativistas da causa. Não é à toa que ONG faz um apelo para que os países que aparecem na lista tomem medidas urgentes para combater a violência no campo.

Fontes:
BBC-Pelo 5º ano, Brasil é líder em mortes em conflitos de terra; Rondônia é Estado mais violento no campo
Global Witness-ON DANGEROUS GROUND

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. helo disse:

    A legalização das terras na Amazonia, a demarcação das terras indígenas, a miséria e a falta de oportunidades de trabalho são questões que não são abordadas de maneira consistente.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *