Início » Brasil » Brasil tenta resgatar fósseis de outros países
Ciência

Brasil tenta resgatar fósseis de outros países

Os fósseis que deixaram ilegalmente o Brasil estão, atualmente, em países como Itália, Japão, França e Alemanha

Brasil tenta resgatar fósseis de outros países
Exemplo de fóssil encontrado na na região da Chapada do Araripe (Foto: Wikimedia)

Há oito anos, o Brasil trava uma batalha para trazer de volta peças pré-históricas extraídas da chapada do Araripe, um dos principais depósitos de fósseis do mundo na divisa entre Ceará, Piauí e Pernambuco, e levadas ilegalmente do país. No entanto, até agora, o Brasil não teve sucesso.

Desde 2007, o Ministério Público Federal em Juazeiro do Norte (CE) tenta recuperar fósseis como o de uma tartaruga marinha, de um pterossauro gigante (um réptil voador, que apesar da semelhança, não era um dinossauro) e de um inseto pré-histórico, que atualmente, estão em museus e em acervos particulares de países como Itália, Japão, França e Alemanha.

Dos cinco inquéritos abertos, dois já foram arquivados. De acordo com o Ministério Público, a maior dificuldade para conseguir a repatriação é a falta de informações requisitadas pelos países, como a data e as circunstâncias da saída dos fósseis do Brasil.

“Na maior parte dos casos, não temos como oferecer esses dados porque se trata de um crime que foi praticado sem conhecimento de ninguém. Por conta disso, fica praticamente inviável a devolução”, afirmou o procurador Celso Lima Verde para a Folha de S. Paulo.

Há ainda três processos em tramitação, mas para os procuradores, há poucas chances de sucesso. Além de serem demorados, os processos envolvem uma força-tarefa de vários órgãos do governo. O Brasil envia laudos de paleontólogos para provar que as peças são do Araripe e declarações do Departamento Nacional de Produção Mineral de que não autorizou a saída do país.

Fontes:
Folha de S. Paulo-País tenta recuperar fósseis 'sequestrados' na Europa e no Japão

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *