Início » Opinião » Artigos » Brasília: as muitas faces do descaramento
CAOS POLÍTICO

Brasília: as muitas faces do descaramento

Estes são dias estranhos nos quais os poderes como um todo mostram que são capazes de toda a ordem de desatinos

Brasília: as muitas faces do descaramento
Reunião do conselho de ética (Foto: Lula Marques/ Agência PT)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nesta inusitada semana em que os deputados José Geraldo (PT-PA) e Wladimir Costa (SD-PA) trocaram ofensas graves em plena reunião do Conselho de Ética da Câmara que discutia a situação do deputado Eduardo Cunha, surge a desconfiança de que a classe política conspira contra o país.

Estes são dias estranhos nos quais os poderes como um todo mostram que são capazes de toda a ordem de desatinos. Agora, e de forma surpreendente, a destituição do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, não interessa mais ao Planalto. E o motivo é simples: o parlamentar carioca é menos perigoso mantido no cargo do que liderando seu grupo em oposição ao Governo Federal.

Os pedidos do procurador da República, Rodrigo Janot, de prisão de caciques do PMDB – José Sarney, Romero Jucá, Renan Calheiros e Eduardo Cunha – ao Supremo Tribunal Federal tiraram o sono e ameaçam a governabilidade do presidente Temer. Não que o Planalto considere injustas as prisões daqueles que tentam barrar a Operação Lava Jato. O problema é que a saída dos caciques pode atrasar votações importantes, como as medidas econômicas que já tramitam no Congresso ou as que serão enviadas em breve.

O caos político e institucional que impera sobre a capital mostrou ao presidente interino que se a coisa é ruim com Cunha, Sarney, Renan e Jucá, sem eles – acredite – o país se torna ingovernável. Temer precisa contar com os três mosqueteiros que – a exemplo do que ocorre no histórico romance escrito por Alexandre Dumas – são quatro, se incluirmos o “D’Artagnan” Cunha.

O Governo e os mosqueteiros peemedebistas torcem agora pela rápida passagem do tempo e que venha logo o recesso parlamentar em julho. Em seguida, a expectativa é que as atenções se voltem para os Jogos Olímpicos e, logo depois, com as eleições municipais – efemérides que deverão, na avaliação candanga, tirar os holofotes de Brasília. Para que eles possam fazer seus arranjos em paz.

No entanto, lideranças petistas não enxergam numa eventual prisão dos três mosqueteiros motivo suficiente para reverter o impeachment ou devolver legitimidade a Dilma Rousseff. Fora do campo de jogo, a presidente afastada ainda joga para a torcida: em entrevista à rede de TV Al Jazeera, do Qatar, ela acredita na reversão do impeachment pelo voto no plenário do Senado.

Os gritos de “vagabundo” e “picareta” – trocados pelos dois parlamentares paraenses – ainda ecoarão por muitos dias em nossos ouvidos, mesmo parecendo uma “lavagem de roupa suja” pelo território político paraense. São dois nomes para se jogar no lixo – mesmo destino que a classe política impôs a dias tão importantes para os rumos do país.

Estes são dias tão inacreditáveis e preocupantes que nem mesmo a prisão do “Japonês da Federal” foi motivo de surpresa ou piadas.

*Claudio Carneiro é jornalista e parceiro do Opinião e Notícia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    São tempos absurdos: os erros do “japa” ficaram conhecidos por ele – mesmo por dever funcional – ter feito a coisa certa.

  2. , LOJAS COMERCIAIS E TUDO AUMENTANDO E PORQUE AUMENTO A FUNCIOÁRIOS PÚBLICOS, ESSES DEVERIAM SEREM OS ÚLTIMOS A SEREM AUMENTADO POIS HAVERÁ UM EFEITO CASCATA EM TODO PAÍS disse:

    LOGO LÁ NA COMISSÃO DE ÉTICA, ISSO É UM ABSURDO OU ISTO É UMA VERGONHA? QUE PAÍS É ESSE? CRIANÇAS NÃO VERÁS UM PAIS COMO ESTE!!! ESTE NÃO É UM PAÍS SÉRIO. SÃO ESTAS FRASES QUE JÁ OUVIMOS FALADA E CANTADA. ISTO É O QUE? QUEM SÃO NOSSOS POLÍTICOS? PARA QUE ESTÃO LÁ E PORQUE O ESCOLHEMOS? FICA DIFÍCIL SABER E A PRESIDENTE DÁ ENTREVISTA LOGO ONDE, QUE EU NEM, QUERO REPETIR O NOME DO PAÍS.ATÉ O JAPA DA FEDERAL. TODOS OS DIAS SOBE TODOS OS TEMPOS DE VISTA (ALZIRO ZARUR) O PAÍS VAI CADA VEZ PIOR. troco duas garrafas de refrigerante de dois litros cheia de FEIJÃO por um fusca 1966 para eu mandar para o Hulk em lata velha.

  3. Beraldo disse:

    Desatino também, um colunista político, imaginar que “passa batida” a defesa dissimulada que faz dos “Quatro Mosqueteiros”, defensores ferretes da Rainha Temer.

    Nada como um dia depois do outro.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *