Início » Brasil » Cada jovem assassinado faz país perder R$ 550 mil
LEVANTAMENTO

Cada jovem assassinado faz país perder R$ 550 mil

Cálculo se refere à riqueza que cada jovem assassinado poderia gerar para o país com seu trabalho

Cada jovem assassinado faz país perder R$ 550 mil
O 'prejuízo acumulado' de 1996 a 2015, foi de R$ 450 bilhões (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um estudo inédito da Secretaria de Assuntos Estratégicos do governo federal mostrou que cada jovem que morre assassinado no Brasil representa uma perda de R$ 550 mil para o país.

O “prejuízo acumulado”, em 20 anos, no período de 1996 a 2015, foi de R$ 450 bilhões. Os dados do estudo foram obtidos com exclusividade pelo jornal Folha de São Paulo.

O cálculo se refere à riqueza que cada jovem assassinado, quando tinham idades entre 13 e 25 anos, poderia gerar para o país com seu trabalho.

O estudo calculou também quanto o Brasil gastou com segurança pública em 2015: aproximadamente R$ 285 bilhões, ou 4,38% do PIB brasileiro.

Entre 1996 e 2015, os gastos com segurança pública no Brasil cresceram 162%, considerada a inflação. O número de assassinatos no país, no mesmo período, cresceu 49%. A taxa de assassinatos por R$ 100 mil cresceu 14%.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Cada jovem morto faz país perder R$ 550 mil

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Buckminster disse:

    Cada pessoa assassinada é uma grande perda porque mostra que os políticos apertam milhares de gatilhos todos os dias com o aval da constituição federal de controle de massas que não atinge variar organizações que controlam de fato o país e usam a carta Magna como tapete.

  2. Rene Luiz Hirschmann disse:

    A vida de um brasileiro vale pouco mesmo, menos que um cavalo de corrida, uma Ferrari ou a casa de jogadores da seleção brasileira.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *