Início » Brasil » Café de Minas Gerais é vendido por preço recorde
PREÇO RECORDE

Café de Minas Gerais é vendido por preço recorde

O quilo do café Bourbon foi vendido por cerca de R$ 917 e se tornou o mais caro do mundo

Café de Minas Gerais é vendido por preço recorde
Os grãos foram adquiridos por japoneses e australianos (Foto: Flickr)

O café Bourbon, cultivado em Patrocínio, em Minas Gerais, foi vendido por preço recorde em um leilão online. Uma saca de 60 kg foi arrematada pelo valor de R$ 55.457,60, com o quilo valendo cerca de R$ 917, e se tornou o café especial mais caro do mundo. O leilão foi organizado pela Alliance for Coffee Excellence (ACE) e os grãos, divididos em seis sacas, foram adquiridos por japoneses e australianos.

O leilão foi realizado no dia 13 de novembro, segundo a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), e o recorde mundial foi conquistado após o cafeicultor Gabriel Nunes, de 28 anos, da Fazenda Bom Jardim, se tornar o campeão da categoria “Pulped Naturals” – cereja descascado, café produzido por via úmida – do concurso Cup of Excellence.

Segundo Nunes, os grãos do café Bourbon são colhidos manualmente e cultivados a 935 metros de altitude, na região do Cerrado Mineiro. Como o recorde anterior, conquistado em 2016 por um produtor brasileiro de Piatã, na Bahia, foi de R$18 mil, o fazendeiro mineiro esperava conseguir vender a saca por cerca de R$ 25 mil.

“Os seis lotes vendidos a preço recorde são de grãos muito bem tratados e finos, no entanto não esperava um valor tão alto. Somos uma empresa familiar e estamos muito felizes, pois temos uma equipe dedicada. O objetivo agora é continuar crescendo no mercado”, destacou Nunes.

De acordo com o consultor do projeto Educampo do Sebrae em Patrocínio, Caio Lazarini, a taxa de renovação anual da Fazenda Bom Jardim é de 15%, enquanto de outros cafeicultores da região é de 7%, o que concede ainda mais qualidade ao café.

O mercado de cafés especiais movimentou no varejo R$ 3,2 bilhões em 2016, segundo pesquisa encomendada pela BSCA. Entre os anos de 2012 e 2016, o crescimento médio anual foi de 18,1% no consumo do café tratado de forma diferente após a colheita.

Com os cafés especiais ganhando atenção dos brasileiros, o Cup of Excellence foi criado no Brasil em 1999, indo para outros países nos anos seguintes. A competição internacional reúne produtores de café arábico e jurados de diferentes partes do mundo, em rodadas de análise sensorial de cafés de alta qualidade. A disputa ocorre somente entre produtos do mesmo país e, até hoje, as maiores notas registradas nas duas categorias – cafés lavados e cerejas descascados, e cafés naturais – foram brasileiras.

Fontes:
G1 - Café produzido em MG bate recorde de mais caro do mundo em leilão; quilo foi comprado por mais de R$ 915

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *