Início » Brasil » Câmara gasta mais de R$ 4 milhões com auxílio-moradia
BENEFÍCIO

Câmara gasta mais de R$ 4 milhões com auxílio-moradia

Mesmo com 84 apartamentos funcionais desocupados, a Câmara mantém auxílio mensal a 154 deputados

Câmara gasta mais de R$ 4 milhões com auxílio-moradia
Câmara é proprietária de 432 apartamentos funcionais em Brasília (Foto: Wikipedia)

Apesar de ser proprietária de 432 apartamentos funcionais em Brasília, destinados a hospedar deputados, a Câmara gasta R$ 4.287.024,00 por ano com auxílio-moradia aos parlamentares. O gasto ocorre mesmo havendo imóveis vagos e disponíveis.

De acordo com um levantamento feito pelo portal de notícias G1, há 84 imóveis vazios na capital federal que são custeados pela Câmara, gerando uma despesa milionária para os cofres do país.

A Câmara mantém 18 prédios em quatro quadras de Brasília (202 e 302 Norte e 111 e 311 Sul) disponíveis para abrigar os deputados. Ao todo, são 432 apartamentos funcionais espaçosos, com mais de 200 m², prontos para serem utilizados.

Entretanto, o parlamentar que não quiser usar o apartamento funcional da Câmara pode pedir auxílio-moradia no valor de R$ 4.253,00. Segundo informações do portal de transparência da Câmara, 154 deputados recebem o benefício atualmente, sendo 72 em espécie e 82 por reembolso. Caso os 84 apartamentos disponíveis fossem ocupados por um parlamentar, a Câmara teria uma economia mensal de R$ 357.252,00.

Segundo a Câmara, foram gastos com os 18 prédios nos últimos quatro anos cerca de R$ 9,5 milhões anuais, sendo as despesas relativas ao pagamento de porteiros, faxineiros, água, energia elétrica e manutenção. Mesmo com apartamentos vazios, a Casa mantém as despesas.

A Câmara ainda informou que, dos 84 apartamentos desocupados, 48 aguardam reforma geral e os outros 36 passam por pequenos reparos ou estão temporariamente sem moradores por conta do ciclo de ocupação e desocupação.

Para o secretário-geral da ONG Contas Abertas, Gil Castelo Branco, esse gasto da Câmara com imóveis é injustificável. Ele defende que os imóveis sejam vendidos, assim como outros órgãos vêm fazendo desde a década de 1990.

“Em primeiro lugar, nem sequer deveria haver auxílio-moradia por ele [deputado] já ter uma verba indenizatória que deveria pagar isso. Agora, em havendo o auxílio-moradia, é muito melhor do que manter essa estrutura desse monte de prédios que geram um custo incrível, para a Câmara e, em suma, pra todos nós contribuintes”, afirmou Branco.

Fontes:
G1-Câmara gasta por ano mais de R$ 4 milhões em auxílio-moradia para deputados mesmo com 84 apartamentos vazios
Poder 360-Câmara poderia economizar R$ 357,2 mil por mês com apartamentos funcionais
Câmara dos Deputados-Imóveis funcionais e auxílio-moradia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Rene Luiz Hirschmann disse:

    Há leis e órgãos corregedores para corrigir estes abusos mas os mesmos são coniventes e agora o que resta fazer?, em um país onde as instituições são governadas por pessoas que não estão nem ai para a sua Pátria, seu povo e suas crianças, até quando nos teremos que aguentar tudo isso? só nós sabemos.

  2. Henrique de Almeida Lara disse:

    Já disse que o Estado está pesado demais para a Nação. O povo não aguenta mais essa irresponsabilidade! Há que haver um Estado enxuto. Mas os que estão usurpando o dinheiro público não têm a hombridade de abrir mão dessa safadeza, a solução será uma revolução daquelas bravas que consiga banir os corruptos do Brasil. Quem poderá fazer isso? Precisa-se de força e muita força e só quem tem essa força são as Forças Armadas. Mas parecer-me que elas também estão gostando dessa situação, pois estão quietinhas!!!

  3. Laércio disse:

    Um crime atrás do outro ocorre no Brasil mas nossa constituição não oferece instrumento eficaz e desburocratizado para que o povo possa convocar mudanças. Somos obrigados a assistir parlamentares se aproveitando dos recursos enquanto trinta milhões de brasileiros estão abaixo da linha da pobreza.
    A constituição deveria ser revogada.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *