Início » Brasil » Candido Portinari morre vítima de intoxicação pelas tintas
NESTA DATA

Candido Portinari morre vítima de intoxicação pelas tintas

Em 6 de fevereiro de 1962, morreu Candido Portinari, consagrado pintor que retratou a realidade social do Brasil em suas obras

Candido Portinari morre vítima de intoxicação pelas tintas
Pela importância da sua produção estética, o pintor alcançou reconhecimento também fora do país (Reprodução/Projeto Portinari)

Candido Portinari nasceu no dia 30 de dezembro de 1903 em uma fazenda de café, no estado de São Paulo. Portinari pintou mais de cinco mil obras e se consagrou como um dos maiores pintores do seu tempo. No dia 06 de fevereiro de 1962, o pintor morreu vítima de intoxicação pelas tintas.

Portinari começou a mostrar seus dons artísticos ainda criança e, com 15 anos, se mudou para o Rio de Janeiro para estudar na Escola Nacional de Belas-Artes. Em 1928, conquistou um prêmio que o levaria à Europa. O pintor permaneceu em Paris durante todo o ano de 1930 e quando retornou, no ano seguinte, começou a retratar a história, o povo, a cultura, a fauna e a flora do Brasil em suas telas.

Companheiro de poetas, escritores, jornalistas, diplomatas, Portinari participou da elite intelectual brasileira em uma época em que se verificava uma notável mudança na atitude estética e na cultura do país. O contato próximo com a realidade do Brasil reforçou o caráter trágico da vertente social da obra de Portinari. Militante político, o pintor filiou-se ao Partido Comunista.

A temática social e elementos da sua infância são muito presentes na obra de Portinari. Pela importância da sua produção estética, o pintor alcançou reconhecimento também fora do país. Entre pequenos esboços e obras de proporções gigantescas, destacam-se na obra de Portinari os painéis Guerra e Paz criados para a sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York.

 

Fontes:
Portinari-Candido Portinari

1 Opinião

  1. Roberto1776 disse:

    Comunistas, em artes plásticas, são insuperáveis.
    Lamentável que diuma não tenha se dedicado à pintura ou à arquitetura, como Portinari e Niemeyer.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *