Início » Brasil » Cariocas usam lanterna que dá choque contra assaltantes
Medo da violência

Cariocas usam lanterna que dá choque contra assaltantes

O produto é vendido a R$ 70 nos camelôs e tem sido utilizado por moradores principalmente no centro da cidade

Cariocas usam lanterna que dá choque contra assaltantes
Lanterna que dá choque elétrico virou 'arma' contra assaltantes no Rio (Fonte: Reprodução/Estadão)

O medo da violência desencadeou uma nova “mania” no Rio de Janeiro: a compra de uma lanterna que dá choque elétrico para afastar assaltantes.

O produto é vendido a R$ 70 nos camelôs e tem sido utilizado por moradores principalmente no centro da cidade.

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, vendedores disseram que a lanterna tem sido muito procurada por pessoas com medo da onda de violência que atinge avenidas movimentadas do centro;

A lanterna não consta da Portaria do Ministério da Defesa que regulamenta os armamentos não letais. Apesar disso, os vendedores têm evitado expô-la em suas barracas, com medo dos fiscais.

O produto, fabricado na China, libera uma descarga elétrica em contato com o corpo. A embalagem da lanterna não informa a intensidade da corrente elétrica emitida.

Uma rajada de cinco segundos de choque pode imobilizar o receptor, causando desorientação e perda de equilíbrio por alguns minutos.

Caro leitor, você concorda com o uso deste tipo de equipamento pela população? Você acha que a venda da lanterna que dá choque deve ser proibida?

Fontes:
Estadão - Lanterna que dá choque vira 'mania' no Rio

5 Opiniões

  1. Sérgio Augusto Kniphoff disse:

    O melhor seria a antiga e boa arma de fogo! Mas, como estão nos tornando cada vez mais dependentes do estado, que é uma b…, pelo menos isto temos em nossa defesa.

  2. Isadora disse:

    Alguém já pensou na possibilidade do efeito contrário… de os criminosos comprarem essa lanterna para imobilizar e dar choques em suas vítimas?

  3. Edson Ribeiro disse:

    Sou Carioca da Zona Norte tenho 34 anos, infelizmente a violência estar muito presente em nossa realidade, acho o carioca muito disposto a combate para liberar mais uma forma de combater a realidade em que vivemos, acho que servi e protege na constituição faz parte do poder público e federal, não podemos sair dando condições de combate a qualquer pessoa já infelizmente não temos educação para gerir o certo do errado, como iremos saber quem e a vítima e quem foi o vitimado… Fala sério com essa atitude vamos cria um bando de justiceiros e aproveitadores do momento nas ruas do RJ.

  4. Áureo Ramos de Souza disse:

    PARA UM CIDADÃO OU CIDADÃ QUE SAI DE CASA PARA O TRABALHO OU VICE-VERSA SERÁ UMA BOA ALTERNATIVA DE DEFESA POIS QUANDO VAMOS DE ENCONTRO A UM MELIANTE E O DERRUBAMOS, VAMOS PRESO POIS TIRAMOS UMA VIDA E OS DEFENSORES DOS DIREITOS HUMANOS NÃO SE LEMBRAM QUE A VÍTIMA SERIA AQUELA PESSOA. QUE VENDAM AS LANTERNAS E PROCURE NÃO A VENDER A MELIANTES.

  5. Carlos U Pozzobon disse:

    Se a lanterna for encarada como uma arma de defesa, seu porte deveria ser autorizado, porém controlado como o das armas em geral. Uma lanterna destas em mãos de assaltantes será um excelente instrumento para roubar as vítimas. E como sabemos que no Brasil o crescimento do número de ladrões tem estado presente na agenda governamental com grandes incentivos e discursos grandiloquentes de progresso, quero crer nem mesmo Diógenes seria capaz de imaginar que sua lanterna usada no século V AC em plena luz do dia com a finalidade de “encontrar um homem honesto” poderia transformar-se em um instrumento popular de comprovação derradeira, 2500 anos depois, que não existem homens honestos circulando sem lenço nem documento por aí.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *