Início » Brasil » Carreira de Graça Foster pode estar perto do fim, diz ‘FT’
ascenção e queda

Carreira de Graça Foster pode estar perto do fim, diz ‘FT’

'Financial Times' afirma que a corrupção na Petrobras está prestes a dar fim à carreira de sucesso construída com muito esforço por Graça Foster

Carreira de Graça Foster pode estar perto do fim, diz ‘FT’
Segundo o jornal, nenhum executivo em sã consciência gostaria de estar no lugar de Graça Foster (Reprodução/FT)

Uma reportagem publicada no jornal Financial Times afirma que a carreira da presidente da Petrobras, Graça Foster, pode estar perto do fim.

Segundo o texto, assinado pela correspondente Samantha Pearson e publicado na  última sexta-feira, 30, a carreira de Graça na estatal, construída com muito esforço, corre o risco de terminar por conta dos escândalos de corrupção denunciados na Operação Lava-Jato.

“Maria das Graças Foster não é uma executiva comum. Para começar, ela é a primeira mulher a presidir uma gigante petrolífera. Ela cresceu em uma região carente do Rio de Janeiro e trabalhou como catadora de alumínio para se sustentar. Após o fim da faculdade, ela entrou como estagiária na Petrobras, onde acumulou um amplo conhecimento no setor de petróleo , capaz de superar muitos especialistas. Infelizmente, essa carreira de sucesso pode acabar de uma forma bem conhecida pelos latino-americanos: um escândalo de corrupção”, diz o jornal.

A reportagem lembra que, mesmo não sendo acusada na Lava-Jato, Graça já ofereceu sua demissão várias vezes à presidente Dilma Rousseff. “A presidente acha que eu devo ficar”, disse Graça em uma entrevista dada em dezembro do ano passado.

Segundo analistas ouvidos pelo ‘FT’, Graça insiste em deixar o cargo porque nenhum executivo em sã consciência gostaria de comandar a Petrobras no estado em que a estatal se encontra. “Qualquer possível substituto de Graça ficaria receoso”, disse João Augusto de Castro Neves da consultora Eurasia Group.

O texto afirma que Graça já estava em uma situação ruim dentro da empresa. Isso porque o esquema de manipulação de preços do governo estava custando bilhões à estatal, e não havia nada que Graça pudesse fazer para deter uma prática que estava enfurecendo os investidores privados. O texto cita ainda a possibilidade de Graça carregar o peso de saber de um esquema de corrupção que um dia seria descoberto.

A reportagem finaliza lembrando a insatisfação popular com o governo Dilma e diz que “se os protestos seguirem adiante podem, em breve, tirar do cargo as duas mulheres mais poderosas do país”.

Fontes:
Financial Times-Maria das Graças Foster, Petrobras chief

1 Opinião

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    GRAÇA NO COMEÇO FOSTER ATÉ BEM, AGORA DIZGRAÇA

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *