Início » Brasil » Cartel
COLUNA ESPLANADA

Cartel

Permanece sem prazo de conclusão no Cade a investigação sobre postos suspeitos de manipulação e formação de cartel

Cartel
Em Brasília, a prática de cartel na revenda de combustíveis é escancarada nos postos que circundam a Esplanada dos Ministérios (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Enquanto os preços dos combustíveis oscilam similarmente nos postos Brasil afora, permanece sem prazo de conclusão no Conselho de Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a investigação sobre revendedores suspeitos de manipulação e formação de cartel. A determinação de apuração partiu do Palácio do Planalto em 7 de fevereiro. À época, o presidente Michel Temer alardeara que o governo não “iria permitir preços abusivos” os quais taxou “como agressão ao consumidor”. Em Brasília, a prática de cartel na revenda de combustíveis é escancarada nos postos que circundam a Esplanada dos Ministérios.

Livre Concorrência

À Coluna, o Cade posiciona que “a solicitação está sendo analisada pela autarquia”. Diz ainda que “em cumprimento à sua função de zelar pela livre concorrência, monitora constantemente os mercados e apura eventuais indícios de infração à ordem econômica que detecta”.

Ilícitos

Nos últimos cinco anos, o órgão investigou e julgou 17 casos de “ilícitos concorrenciais”. Atualmente, há oito investigações em trâmite que apuram infração no setor de combustíveis.

Vice

A desorientação do PT é tamanha após a prisão do ex-presidente Lula que ala discreta do partido passou a defender, internamente, a vice-candidatura na chapa do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, recém-filiado ao PSB.

Mensalão

Caciques petistas, contudo, refutam qualquer hipótese de aliança com o ex-ministro que condenou, entre outros, José Dirceu no episódio do mensalão.

Transgênicos

Parlamentares ruralistas vão tentar aprovar na Comissão de Meio Ambiente do Senado  (PLC 34/2015) o fim da obrigatoriedade dos rótulos com informações sobre a presença de transgênicos em produtos alimentícios. A votação da proposta está marcada para amanhã.

Rejeitado

O projeto, do deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), foi rejeitado na Comissão de Assuntos Sociais há um mês. Os senadores acataram o parecer de Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), elaborado com o apoio do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Cadastro Positivo

Deputado Sergio Zveiter (DEM-RJ) afirma que a aprovação da Lei do Cadastro Positivo vai permitir uma queda nas taxas de juros e aumento no crédito, com reflexo na geração de emprego e de renda. “É um mecanismo importante para reativar a economia”, afirma Zveiter.

Dirigentes Lojistas

Zveiter e Marcelo Mérida, presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio de Janeiro, se reuniram com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para defender a aprovação da proposta cujo relator é o deputado Walter Ihoshi (PSD-SP).

Golaço

O jornalista e professor PC Guimarães, autor de “Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem”, prepara a biografia do jornalista Armando Nogueira, ex-diretor de Jornalismo da TV Globo e colunista do Jornal do Brasil, morto em 2010, aos 83.

Xapuri

PC esteve em Xapuri (AC), onde Armando nasceu, e está em Rio Branco, onde ele viveu até os 17 anos quando foi pro Rio de Janeiro. O livro será publicado pela GRYPHUS e conta com o apoio do jornalista Manduka Nogueira, filho único de Armando.

Mais Um

A chamada Frente pela Democracia lança amanhã, na Câmara, mais um manifesto contra a prisão do ex-presidente Lula. Assinam o documento os presidentes do PCdoB, PT, PSB, PDT e PSOL.

Fundo de Segurança

Deputado Miguel Haddad (PSDB-SP) quer autorizar a doação de recursos por pessoas físicas e jurídicas para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e deduzir o valor do Imposto de Renda (IR). De acordo com o projeto do tucano (PL 8663/17), a dedução será de 1% para as empresas tributadas com base no lucro real, e de 6% para as pessoas físicas.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *