Início » Brasil » Cerca de 70% dos domésticos ainda estão à margem da nova lei
Após um mês em vigor

Cerca de 70% dos domésticos ainda estão à margem da nova lei

Por vergonha da profissão ou recusa do patrão em assinar a carteira, 4,6 milhões ainda não recebem os benefícios estabelecidos pela nova lei

Cerca de 70% dos domésticos ainda estão à margem da nova lei
A maioria dos trabalhadores domésticos ainda não tem registro na carteira de trabalho (Reprodução/Internet)

Nesta sexta-feira, 3, a nova lei dos domésticos completa um mês em vigor. Mas, cerca de 70% dos trabalhadores do ramo ainda estão à margem dos benefícios estabelecidos pela lei.

Segundo uma reportagem publicada pela Folha, 4,6 milhões de domésticos não estão sendo beneficiados por ainda não terem a carteira de trabalho assinada.

Leia mais: Bem-vindos ao passado
Leia mais: PEC das domésticas deve aumentar ações na Justiça
Leia mais: Leitor comenta os custos trabalhistas da PEC das domésticas

Em alguns casos, o patrão se recusa a assinar a carteira. É o caso de Marcilene da Silva, do Tocantins. A doméstica diz que perdeu a conta de quantas vezes pediu para o patrão assinar sua carteira. Agora, ela recebe uma quantia de R$ 335 para trabalhar por um período de quatro horas, três vezes por semana. “Já dormi no serviço, de segunda a sábado, mas nem assim tive registro”, diz Marcilene.

Em outros casos a vergonha da profissão faz com que o próprio doméstico recuse o registro. Domésticos que não quiseram se identificar disseram ter vergonha de ter o registro na carteira por achar que a profissão é inferior.

Há também relatos de domésticos que preferem se manter na informalidade para continuar recebendo benefícios concedidos pelo governo.

Ruy Braga, especialista em sociologia do trabalho, explica que a informalidade tem raízes culturais. “Não se reconhece o doméstico como portador de direitos. Por lei, a responsabilidade da formalização é do empregador”, diz o especialista.

Fontes:
Folha-4,6 milhões ficam fora de nova lei dos domésticos, que completa um mês

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    Empregada doméstica, ser ou não ser, eis a questão!

  2. olbe disse:

    Primeiro, o governo ainda não regulamentou a profissão . Tem coisas que devem ser discutidas e regulamentadas.
    O que acontece é que agora não tem “o patrão não quer assinar carteira”. É só ela ir pra justiça que rapidinho recebe tudo. Um alerta: os patrões que pensam que vão aceitar que as empregadas continuem sem receber o que a lei manda contando que ela “aceitou”está redondamente enganado, elas vão à justiça e recebe tudo.Agora que as patroas vão para a cozinha os arqwuitetos e engenheiros vão criar cozinhas mais “decentes”pq até agora a cozinha era um lugar onde nenhuma visita entra…só a cozinheira.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *