Início » Brasil » Chamem o Freud que eu quero deitar em seu divã!
GRITA BRASIL

Chamem o Freud que eu quero deitar em seu divã!

O senador Aécio Neves é novamente senador e pode legislar livremente não em nossa causa, mas em causas próprias e de seus pares

Chamem o Freud que eu quero deitar em seu divã!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas

Sinceramente cheguei ao ponto em que ou Freud explica, ou eu entrego a Deus, que dizem ser brasileiro, mas tá difícil de acreditar. Não em Deus, mas que ele seja brasileiro.

Como explicar para um jovem que será um eleitor em breve que, apesar de todas as provas, o Senado consiga a proeza de inocentar um senador que quase foi presidente, depois do STF ter enxergado o que muitos preferem considerar como um “não é bem assim”. Como dormir com isso? Como acordar com isso? O senador Aécio Neves é novamente senador e pode legislar livremente não em nossa causa, mas em causas próprias e de seus pares. E fica tudo por isso mesmo.

Acho que nem Freud teria uma explicação plausível para destrinchar o que se passa no consciente e subconsciente de nossos políticos, que passam por cima de qualquer princípio básico do que se espera dessa classe que hoje representa a pior espécie em nossa sociedade, que representa a sua escória. É triste ver um Senado aplaudindo e comemorando uma absolvição que só mostra o real caráter de quem faz parte dessa pocilga que é o Senado, e não muito diferente da pocilga que é o Congresso. Sem, é claro, esquecermos o Planalto.

As manobras feitas para salvar Aécio são dignas de mentes que pensam em estratégias quase que militares e que poderiam ser usadas para melhorar nosso país. Mas como não há interesse coletivo nisso, ficamos à deriva.

É triste ver nosso país tão grandioso e rico em recursos naturais e longe de catástrofes naturais afundar cada vez mais na ganância, na falta de caráter, na falta de hombridade e na falta de um verdadeiro líder que diga: “Basta”.

Mas o grande problema passa pela não aceitação de que se errou. Reconhecer erros não é fácil, especialmente quando se deve explicações para um grande número de pessoas. No caso de nossos políticos isso é latente e transparente. Eles não reconhecem seus erros, muito pelo contrário, se defendem sempre culpando terceiros pela descoberta e dizendo-se inocentes e que (sempre) se trata de um grupo de invejosos, de perseguidores ou um grupo de uma força maligna.

Pepe Mujica disse: “Não se diminuam, companheiros, amem-se muito… – mas não tanto a ponto de perdoarem as próprias cagadas.”

Ou seja, disso podemos tirar que apesar de nem se amarem tanto, em alguns casos, nossos políticos, quando o assunto é defender seus atos ilícitos, se tornam os melhores amigos e amantes, que em troca de favores perdoam-se de qualquer malfeito que tenha sido cometido, com a garantia de que poderão voltar a fazer sem que haja nada ou quase nada que os impeça.

A Lava-Jato está tentando mudar um pouco isso, mas enquanto algumas denúncias passarem ainda pelo crivo dos deputados e senadores eles irão sempre se ajudar. Arrumarão sempre um jeito de nem se comprometerem explicitamente.

E assim a vida continua.

O Aécio tá livre e no Senado, o presidente Michel Temer com quase 99% de chance irá se livrar dessa segunda denúncia, pelo menos por agora, o que irá permitir que ele chegue até o final de seu mandato, e se tudo correr como falam as pesquisas, e se realmente Lula for candidato, bem… pois é… eu sinceramente espero que dessa vez as pesquisas estejam mentindo, mas se não tiveram e se o Tribunal Superior Eleitoral considerar que Lula é candidato, então…sou capaz de matar novamente o Freud, pois ninguém, nem ele irá me convencer que o subconsciente do povo é a voz de Deus.

Pois se for, eu realmente vou ter que rever vários de meus conceitos.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. E vamos começar a rezar desde já.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    o Brasil só esta afundando por ter um povo covarde,o qual,não foi educado para ser lutador pelos seus direitos.antes de sermos carnavalescos ,e,querer ser divertidos ,temos que pensar na nação que os politicos estão nos escravizando ,e, nos roubando a dignidade perante o mundo.podemos enganar um cidadão por alguns dias,mais, enganar toda uma nação por tantos anos,móstra a fragilidade e o desvio de conduta dos brasileiros no sentido maior de patriotismo.brasileiros,acordem.

  2. Rene Luiz Hirschmann disse:

    Foi os mineiros que votaram nele, agora não adianta se arrepender, se continuarmos a votar errado vamos continuar a sermos comandados por quadrilhas e organizações criminosas.

  3. Markut disse:

    Talvez não seja rever conceitos,nem clamar por Freud, mas revigorar esses conceitos através de uma opinião pública mais esclarecida , capaz de uma contestação consciente do que se passa aquí e agora e com poder “soberano” para dizer “basta”, via uma eleição de eleitores mais conscientes e contestadores, para o que só há uma solução, infelizmente ,a médio prazo:
    EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA E COMPETENTE,divorciada da atual pedagogia oficial , totalmente desinteressada dos recursos que a moderna tecnologia da comunicação permite. Diga-se , tambem, que já estão em curso , espalhados pelo Brasil,ong’s e iniciativas isoladas de ensino básico mais inteligentes, de ensino básico competente e moderno, mas que não conseguem ecoar satisfatoriamente no pensamento das gestões públicas atuais, desmotivadas e desinteressadas em mudar o que “ai está”.
    A crescente insatisfação contra esse populismo predador ,na voz do povo, pode ter várias facetas, mas arrisca-se exacerbá-la ao ponto de conduzir a uma nova tomada da Bastilha e o seu séquito de vandalismo e de irracionalidade.
    As gestões atuais, de costas para os seus eleitores, parece não se dar conta , ou minimizar indevidamente, do poder explosivo da voz das massas indignadas e insatisfeitas.

  4. Laércio disse:

    Aécio, lula, Temer, Sarney… Pode ser quem for… Enquanto tivermos leis falhas não haverá governo sério.
    Sabe, o problema da leis é que escrevem demais; a lei tinha que ter um efeito “rarefeito”, ou seja, quanto mais pertencente ao alto escalão menos recursos disporia.
    Desde que Temer assumiu só houveram denúncias e duas propostas para acabar com o mínimo que os trabalhadores possuem.
    Nosso sistema político, nossos políticos e magistrados não estão sendo eficazes para com os problemas da nação!
    Continuo vendo ordenados e benefícios altíssimos para esse pessoal mas vejo também gente comendo lixo nas ruas, cadeias lotadas, formandos do fundamental que não sabem ler, etc..

    Todos no Brasil não estão se importando porque ainda há o que comer e beber; se continuar da forma que está daqui a vinte anos a metade da população terra muita sede e fome, comerão nas latas de lixo e beberão água de reúso… Voce dúvida? Veja nossos jovens de 15 anos, hoje, que frequentam as escolas públicas, eles não sabem ler nem o básico da matemática; os estrangeiros estudiosos nos vendem tudo que é manufaturado, nossa população cresce junto com a falta de qualidade no ensino, junto com as doenças, má cultura, aumento dos encarcerados, etc… Essa conta não vai fechar bem.

    Nossa única chance é agora, de alguma forma, haverem mudanças radicais sob vários aspectos da vida no país; começando pelos políticos que devem ter seu quadro reduzido em no mínimo 70% bem como a mesma porcentagem para seus benefícios… Se acha que isto é loucura talvez viverá para ver seus descendentes por muita fome…

    A segunda coisa é uma mudança no sistema político, ou seja, tem que haver plebiscitos mensais aonde o povo ela é vote as leis, de forma direta, sem participação política.
    Os políticos devem afirma desempenhar a política de emprego dos recursos e outras questões de baixo calão administrativo.

    Os plebiscitos devem sancionar ou revogar as leis e eleger como cláusulas pétreas a pena de morte ou prisão perpétua com trabalhos forçados para políticos maus, traficantes e latrocidas, porque o crime doloso praticado por estes acabam se disseminando para a sociedade, de forma maléfica.

    Metade da escola pública devem ser militarizadas e absorver os conteúdos de jovens que estão indisciplinados; tais escolas tem que ter o poder de disciplinar compulsoriamente seus alunos… Somente assim recuperarmos parte de nossa “safra” de jovens que está colaborando para o aumento do déficit para com a segurança pública…
    Somente ações robustas darão resultado, as políticas atuais poderão ser usadas como roteiro para apresentação em circo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *