Início » Brasil » Cinco líderes mais impopulares que Trump
CAMPEÕES EM REJEIÇÃO

Cinco líderes mais impopulares que Trump

Revista 'Time' lista cinco chefes de Estado mais impopulares que o presidente americano. Michel Temer está na lista

Cinco líderes mais impopulares que Trump
Aprovação de Temer caiu para um dígito em abril (Foto: Flickr/Beto Barata/PR)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A revista Time elaborou uma lista dos cinco líderes mais impopulares do mundo. O ranking foi inspirado em uma recente pesquisa nos EUA que mostrou que a popularidade do presidente Donald Trump caiu para 39%.

Diante disso, a publicação decidiu listar outros líderes com índices de popularidade menores que o percentual de Trump. “Acredite ou não, Trump – atualmente com uma popularidade abaixo dos 40% – está bem colocado se comparado com outros chefes de Estado”. Confira abaixo a lista.

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela

Nicolás Maduro

Com uma aprovação de apenas 21%, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, é o líder mais criticado do mundo. A escassez de alimentos e de medicamentos enfureceu a população venezuelana, que tem marcado presença em manifestações violentas nas ruas.

A situação de Maduro é fruto de uma série de fatores. Primeiro, pelo fato de presidir uma nação cujo petróleo corresponde a quase 95% das receitas do governo em plena era do colapso do preço do barril.

Em segundo lugar, sua inclinação para perseguir opositores e a tentativa de tirar os poderes do parlamento levou a população a reagir. Para completar, Maduro não tem o carisma de seu predecessor, Hugo Chávez, que segue sendo uma figura muito reverenciada no país.

Jacob Zuma, presidente da África do Sul

Jacob Zuma

A popularidade do presidente da África do Sul bateu recorde de queda. Atualmente ela está em 20% e 70% dos sul-africanos querem sua renúncia.

Desde que Zuma assumiu, em 2009, o rand, a moeda sul-africana, já perdeu um terço do valor e o desemprego já chegou a 27%. É difícil ser popular com tais indicadores. O cenário se complica ainda mais se for levado em conta que ele responde a quase 800 acusações de corrupção. Atualmente, ele prepara sua mulher para ser sua sucessora, para que ela o proteja dos julgamentos após ele deixar a presidência.

Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia

Alexis Tsipras

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, segue caindo nas pesquisas de popularidade à medida que submete a Grécia a mais medidas de austeridade.

As agruras econômicas gregas são bem anteriores à ascensão de Tsipras como primeiro-ministro, pois o PIB grego já encolheu 25% desde 2010. Mas ele e seu partido, o Syriza, tiveram um papel-chave nelas. O Syriza venceu as eleições de 2014, com a promessa de curvar Berlim a sua vontade e fazer a Alemanha perdoar a dívida grega.

Nenhuma das duas medidas ocorreu. Para piorar a situação de Tsipras, em 2015 ele propôs um referendo para que a população decidisse se a Grécia deveria aceitar ou não as novas medidas de austeridades solicitadas pela União Europeia. A população disse não, mas Tsipras acabou aceitando as medidas. Atualmente, ele tem uma taxa de rejeição de quase 90% e 60% dos gregos querem que ele deixe o cargo.

Najib Razak, primeiro-ministro da Malásia

Najib Razak

Se não vai ser popular, que pelo menos seja rico. Essa parece ser a mentalidade de Najib Razak, primeiro-ministro da Malásia. Desde que assumiu o cargo, em 2009, ele implantou no país um plano de recuperação econômica chamado 1Malaysia Development Berhad (1MDB). Porém, mais de US$ 1 bilhão da verba destinada ao plano acabou parando na conta pessoal de Razak. O escândalo fez sua popularidade cair para apenas 19%, se tornando assim o primeiro-ministro mais impopular da história do país.

Michel Temer, presidente do Brasil

Temer

Substituir uma presidente deposta deveria ser uma tarefa fácil, tendo em vista a impopularidade da antecessora.

Mas, com uma popularidade de 9%, a gestão de Michel Temer não tem sido fácil. Atualmente, ele enfrenta um escândalo de corrupção gerado por gravações da JBS nas quais ele aparece negociando a compra do silêncio de Eduardo Cunha na Operação Lava Jato.

Porém, a rejeição a Temer é muito anterior ao atual escândalo. Ao que tudo indica, ele será o próximo presidente do Brasil a ser deposto em menos de dois anos.

Fontes:
Time-5 World Leaders Less Popular than President Donald Trump

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. laercio disse:

    Se temer for apenas deposto sairá barato! Imaginem esse cidadão implantando planos tão mesquinhos quanto os que apresentou.
    Alguém deve ensinar para ele que não existe plano aonde apenas uma parte seja sacrificada, ou todos estão juntos ou não!
    Em segundo lugar, uma constituição que não deixa sua população livre para por o pé no freio mostra não está preparada para o futuro! A constituição no Brasil ainda cheira suor de camisa de coronel.
    Temos que ter uma constituição moderna que tenha prontos instrumentos que podem ser acionados pelo povo em caso de acidente.
    Esses políticos sabem disso mas a conveniência permite que ele finjam e mantenham as coisas como estão.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *