Início » Brasil » Cinco mil funcionários da GM entram em greve após demissão coletiva
Crise

Cinco mil funcionários da GM entram em greve após demissão coletiva

Demissão de mais de 250 metalúrgicos através de telegrama no último sábado, dia 8, foi o estopim da paralisação

Cinco mil funcionários da GM entram em greve após demissão coletiva
Assembleia não teve unanimidade na votação, mas sindicalistas ameaçaram quem decidisse furar a greve (Foto: Wikimedia)

A produção no complexo industrial da General Motors, em São José dos Campos, está paralisada após a demissão de mais de 250 funcionários, no último sábado, 8. Após assembleia na manhã desta segunda-feira, 10, os empregados da empresa aprovaram a greve geral como forma de forçar a GM a reverter as dispensas do último final de semana.

Na votação estavam presentes os trabalhadores do turno da manhã, os metalúrgicos que estavam com contratos suspensos temporariamente desde março e os recém-demitidos. Há um acordo entre o sindicato e a GM por três meses de estabilidade para os empregados que estão voltando do período de afastamento, ou seja, os demitidos no último final de semana estavam com contrato ativo.

Diferentemente do que esperava o sindicato, a votação não foi vencida por unanimidade, por isso os sindicalistas bloquearam todos os acessos ao complexo da GM e ameaçaram os funcionários que tentassem furar a greve. Muitos trabalhadores criticaram as demissões, mas disseram que a culpa não é da empresa e não é hora de parar a produção.

“Trabalho aqui há 18 anos, infelizmente essa situação não é culpa da GM, basta ver como está o país”, comentou ao Globo um engenheiro industrial que pediu anonimato.

A GM justificou a demissão coletiva como reflexo da redução de 30% na venda de veículos nos últimos 20 meses. O complexo já chegou a ter mais de 8 mil funcionários, hoje, após as demissões, conta com aproximadamente 5 mil.

Fontes:
Estadão-Após demissões, 5 mil metalúrgicos da GM entram em greve em SP

3 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    O Lulla disse uma vez que “…tem é qui vende carro, us prefeito é que cuidi di alarga as rua…” (aplaudiram). É hora da Dilma lançar o “Bolsa Automóvel”, para tirar as montadoras do sufoco.

  2. Roberto Ebelt disse:

    Votaram no petê que produziu esta crise dos diabos e agora fazem greve contra a GM por causa da imprevidência desta senhora e de seu desmiolado ministro manteiga?
    Inacreditável. Serão cegos ou somente desinformados?

  3. Roberto1776 disse:

    Como é que é???
    Direito de fazer greve pode, mas o direito de trabalhar não vale???
    Brincadeira de mau gosto. Tinham que prender grevistas arruaceiros.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *