Início » Brasil » Clima de guerra
COLUNA ESPLANADA

Clima de guerra

Para o próximo domingo, 7, o Tribunal Superior Eleitoral já autorizou, até o momento, o envio de militares para 497 localidades

Clima de guerra
Em 2016, no 1º turno, as tropas federais atuaram em 315 municípios de 13 estados (Foto: Fernando Frazão/Fernando Frazão)

O aumento expressivo do apoio de forças federais na segurança dos estados reflete o clima de beligerância nas eleições deste ano. No 1.º turno do pleito de 2014, as tropas federais atuaram em 279 cidades.  Para o próximo domingo, 7, o Tribunal Superior Eleitoral já autorizou, até o momento, o envio de militares para 497 localidades. Número que tende a aumentar. O estado que pediu mais apoio foi o Piauí – onde as tropas irão atuar em 122 cidades –, seguido de Rio Grande do Norte (97), Maranhão (72), Rio de Janeiro (69), Pará (60), Amazonas (26), Mato Grosso (19), Tocantins (12), Acre (11), Ceará (5) e Mato Grosso do Sul (4).

Nas municipais

Em 2016, no 1º turno, as tropas federais atuaram em 315 municípios de 13 estados.

Cadê?

Campanha nas ruas, debates na TV e rádios, mas você viu os presidenciáveis falarem de proposta para incentivo ao esporte e inclusão social pelo esporte? Nós não.

Patriotismo

Domingo é o dia da maior festa da democracia brasileira. Exerça o seu direito. E respeite o outro, independentemente da cor do partido ou bandeira ideológica.

Homem do campo

Principal articulador da formalização do apoio da Frente Parlamentar da Agropecuária ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), o presidente da União Democrática Ruralista, Luiz Antonio Nabhan Garcia, ampliou sua cotação para chefiar ou emplacar um indicado no comando do Ministério da Agricultura no eventual governo do ex-capitão.

Ruralistas

Nabhan Garcia, um dos principais conselheiros da campanha de Bolsonaro, é defensor de uma “reforma agrária organizada”, sob controle de um órgão sem vínculo “ideológico ou político”. Avalia que a reforma feita nos últimos anos apenas jogou dinheiro fora e transformou a área rural em “uma grande favela”.

ZapFake

O comando da campanha do petista Fernando Haddad atribui às chamadas fake news o crescimento que chamam de “inesperado” do adversário Bolsonaro nas últimas pesquisas. Para conter a propagação de notícias falsas, o partido disseminou dezenas de contatos de Whatsapp em todo o país para denúncias de militantes.

Lula ‘na linha’

Tem até o “Zap do Lula”, com número de São Paulo, que traz a mensagem: “Lula e Haddad precisam de você: denuncie boatos e mentiras”.

Alerta de dentro

Presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Ângelo Fabiano Farias da Costa afirma que o país vive “uma crise desconstituinte” ao pontuar que Ministério Público do Trabalho passa por momentos difíceis, “inclusive no que diz respeito à atuação na esfera trabalhista, cujos direitos estão sendo esvaziados”.

Memória

O PDT, do presidenciável Ciro Gomes, e o deputado Jair Bolsonaro (PSL) integraram o movimento na Câmara que culminou na aprovação, com folga, da punição para juízes e membros do Ministério Público Federal por abuso de autoridade. Foi em 2016 durante a discussão do pacote anticorrupção composto por medidas propostas pelo MPF.

Orbitando

Um caso simples reflete a crise no Correios, assaltado pelo PT e PTB nos últimos anos. Não chegou até hoje uma carta com AR enviada sábado passado de uma agência no Plano Piloto de Brasília para a cidade satélite de Brazlândia, a apenas 40km da capital.

Custo Brasil

Pelo rastreamento, o portal dos Correios informa que houve ‘mal encaminhamento’ da carta. O remetente pagou R$ 12 para o envio. Gastaria menos que isso de gasolina para ir e voltar ao local do destinatário para entregar a carta.

Boteco em Vegas

Morador de Las Vegas há 20 anos, o empresário carioca Marcus Fortunato abriu o Boteco na capital dos jogos, que fez grande sucesso no verão americano e virou point de turistas. Uma turma de brasileiros baixa lá esta semana, durante a Global Gaming Expo – G2E. Fortunato tem uma empresa que fabrica software para máquinas de jogos.

Pista jurídica

Em sentenças recentes, a 99 POP se livrou de processos contra motoristas que tentaram na Justiça vínculos empregatícios contra o app que envolve motoristas com veículos próprios. Os juízes Luiz Gonçalves, da 37ª Vara do Trabalho de BH, e Patricia Seller, da 2ª Vara do Trabalho de Mauá (SP) acolheram os argumentos da empresa quanto à liberdade de escolha dos motoristas na utilização do aplicativo.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *