Início » Brasil » Coaf aponta movimentação suspeita de ex-motorista de Flávio Bolsonaro
INVESTIGAÇÃO

Coaf aponta movimentação suspeita de ex-motorista de Flávio Bolsonaro

Movimentações ultrapassam R$ 1,2 milhão. Relatório cita cheque para a futura primeira dama, Michele Bolsonaro, na época em que era secretária parlamentar

Coaf aponta movimentação suspeita de ex-motorista de Flávio Bolsonaro
Investigação foi feita no âmbito da Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava Jato (Fonte: Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, identificou movimentações financeiras suspeitais que ultrapassam R$ 1,2 milhão feitas por um ex-assessor e ex-motorista do deputado estadual Flávio Bolsonaro.

A investigação foi feita no âmbito da Operação Furna da Onça, um desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro que resultou na prisão de dez deputados estaduais.

Na operação, o Coaf identificou movimentações financeiras de servidores e ex-servidores da Alerj e ainda de pessoas relacionadas a eles que não eram compatíveis com suas capacidades financeiras. A informação foi divulgada pelo jornal Estado de S. Paulo nesta quinta-feira, 6.

De acordo com o relatório do Coaf, Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-assessor parlamentar, que teria sido motorista de Flávio Bolsonaro, com renda mensal de R$ 23 mil, movimentou R$ 1.236.838 entre 1º de janeiro de 2016 e 31 de janeiro de 2017.

O Coaf identificou também saques em espécie no total de R$ 324.774, além de R$ 41.930 em cheques compensados. Entre os favorecidos na época está a futura primeira-dama Michele de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, na época secretária parlamentar, que teria recebido R$ 24 mil.

O deputado Flávio Bolsonaro, agora senador eleito, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, se pronunciou apenas por meio de uma rede social: “Fabrício Queiroz trabalhou comigo por mais de dez anos e sempre foi da minha confiança. Nunca soube de algo que desabonasse sua conduta. Em outubro foi exonerado, a pedido, para tratar de sua passagem para a inatividade. Tenho certeza de que ele dará todos os esclarecimentos”.

Em nota, o Ministério Público Federal, responsável pela operação, informou que o relatório do Coaf foi incluído nas investigações, porém nem todos os citados foram incluídos nas apurações, uma vez que, segundo o MPF, nem todas as movimentações atípicas são ilícitas.

Fontes:
G1 - Coaf aponta que ex-motorista de Flávio Bolsonaro movimentou mais de R$ 1,2 milhão em operações suspeitas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *