Início » Brasil » Com 11,9% da capacidade, Sistema da Cantareira tem novo recorde de baixa
abastecimento de água

Com 11,9% da capacidade, Sistema da Cantareira tem novo recorde de baixa

Governo de São Paulo anuncia que a partir de maio consumidores que gastarem acima da média receberão multa de 30% nas tarifas

Com 11,9% da capacidade, Sistema da Cantareira tem novo recorde de baixa
Nos últimos meses, o reservatório vem registrando sucessivos recordes de baixa (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O nível de água do Sistema da Cantareira atingiu o pior índice da sua história nesta terça-feira, 22, operando com apenas 11,9% da sua capacidade total.

Leia mais: Estabelecimentos comerciais furtam água em São Paulo
Leia mais: Uso das águas profundas do Sistema da Cantareira traz riscos para a saúde

De acordo com dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) em abril do ano passado, o volume de água no reservatório correspondia a 63% da capacidade total.

Porém, nos últimos meses, o reservatório vem registrando sucessivos recordes de baixa. As represas de Jaguari e Jacareí, que correspondem a 82% da capacidade total do sistema, são as que apresentam os cenários mais críticos, operando com capacidade de 4,2%.

Para tentar garantir o abastecimento sem a necessidade de racionamento, o governo determinou que a partir de maio vai multar em 30% os consumidores que gastarem acima da média. Em contraponto, consumidores que conseguirem reduzir em 20% o consumo diário receberão um desconto de 30% nas tarifas.

Para tentar contornar o problema do racionamento, a Sabesp está trabalhando em uma obra que permitirá o bombeamento das águas profundas do reservatório, chamado volume morto.

Fontes:
Estadão-Com 11,9% da capacidade, Sistema Cantareira tem novo recorde negativo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Jose Arimatéia Curvelo disse:

    Esses gestores são uns burros, porque não fazem um aqueduto de Rio Branco para São Paulo, passando por Porto Velho? Preferem gastar dinheiro com Copa.

  2. Marluizo Pires Cruz disse:

    De quatro em quatro anos o sistema de governo do País precisa de dinheiro para eleger os governantes. Portanto o sistema precisa de alguma fórmula para manipular os problemas sem dar solução para de alguma forma angariar os fundos para a próxima eleição. Diante destes ciclos político os já passados 514 anos continuam se renovando De quatro em quatro anos nos mesmos métodos do ramo industrial da política brasileira. Construindo um belíssimo estádio de futebol padrão FIFA faltando padrão BRASIL para manter investimento na expansão da capacidade de armazenamento tratamento e distribuição de água nas torneiras, agora através da ameaça de multa quer transferir para o consumidor a incapacidade da gestão administrativa de acompanhar o desenvolvimento populacional nas necessidades de consumo de água e saneamento básico.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *