Início » Brasil » Comissão da Verdade de SP conclui que JK foi assassinado pelo Regime Militar
vítima de complô?

Comissão da Verdade de SP conclui que JK foi assassinado pelo Regime Militar

Relatório feito pelo grupo aponta 90 indícios que mostram que Juscelino foi vítima de uma conspiração orquestrada pelo Regime Militar

Comissão da Verdade de SP conclui que JK foi assassinado pelo Regime Militar
Relatório afirma que o motorista do ex-presidente teria levado um tiro antes do veículo colidir (Reprodução/Internet)

A Comissão da Verdade da Câmara de Vereadores de São Paulo declarou na última terça-feira, 10, que o ex-presidente Juscelino Kubistchek foi assassinado pelo Regime Militar. O grupo acredita que o ex-presidente foi vítima de um complô orquestrado pelo general João Batista Figueiredo.

De acordo com a versão oficial, Juscelino Kubistchek e seu motorista, Geraldo Ribeiro, morreram em 22 de agosto de 1976, em um acidente de carro na rodovia Presidente Dutra. No entanto, o presidente da Comissão da Verdade, Gilberto Natalini, afirma que o Regime Militar montou uma farsa para encobrir o assassinato de um inimigo político. “Não foi acidente. A comissão declara o assassinato de Juscelino, vítima de uma conspiração”, disse Natalino.

A Comissão passou os últimos nove meses investigando o caso e ouvindo supostas testemunhas. Um relatório concluído pelo grupo aponta 90 indícios que mostram que Juscelino foi vítima de assassinato político. De acordo com o relatório, o motorista do ex-presidente teria levado um tiro antes do veículo colidir.

Segundo a Comissão, o ponto-chave da investigação foi um furo encontrado no crânio de Geraldo. Para o perito criminal Alberto Carlos de Minas o furo tem “característica de buraco provocado por projétil de arma de fogo”. Uma exumação feita em 1996, concluiu que o orifício foi causado por um prego no caixão, mas a Comissão planeja pedir uma nova exumação.

O testemunho de Ademar Jahn, motorista do caminhão que colidiu com o carro de Juscelino, também foi citado no relatório. Ademar diz ter visto Geraldo “debruçado, com a cabeça caída entre o volante e a porta do automóvel, não restando dúvida de que o condutor se encontrava desacordado e inconsciente, e já não controlava o veículo, antes do impacto”.

A Comissão pretende enviar o relatório à presidente Dilma Rousseff e pedir ao governo brasileiro e ao Congresso a retificação sobre a morte do ex-presidente.

Fontes:
Estadão-Comissão pede que Dilma e Congresso reconheçam que JK foi assassinado
G1-JK foi vítima da ditadura, diz relatório da Comissão da Verdade de SP
Globo-Comissão da Verdade de SP quer retificação sobre morte de JK

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. azambuja disse:

    Eu queria saber se entre os 90 indícios elencados pela (c) Omissão da Verdade está a identificação do exímio atirador que, numa estrada, a cerca de 80 km por hora, conseguiu acertar um tiro na cabeça do motorista. Só isso que eu queria saber do sr. Natalini, ex-preso no Doi/CODI, que agora busca a todo o custo uma revanche.

  2. Arthur Octavio Kós disse:

    Sem duvida alguma é louvável a Comissão da Verdade da Câmara de Vereadores de São Paulo, procurar averiguar com exatidão a causa da morte de JK e seu motorista. Entretanto está averiguação perderá totalmente o valor se, a Comissão, não procurar averiguar, também com exatidão, as mortes de Celso Daniel e do Toninho do PT. Com certeza a morte destes dois políticos petistas, foram muito estranhas!!!

  3. olbe disse:

    E ainda tem gente dizendo que o regime militar era muito melhor…

  4. Roberto1776 disse:

    O que houve de errado com a primeira exumação? Não satisfez os desejos desta comissão? Muito estranho. Agora virou moda fazer exumações?
    O que precisa ser investigado são as mui suspeitas mortes mencionadas pelo Arthur Octávio Kós, e o partido que aparelhou o país totalmente, exceto (até o presente momento) o STF, às custas de bolsas mil.

  5. Jose Maria disse:

    Se querem a Verdade, devem exumar também o Celso Daniel. Ele sim, tem muita coisa pra contar.

  6. helo disse:

    O perito que exumar Celso Daniel deverá pedir proteção. O perito que discordou da trinca petista que alegava morte instantânea, suicidou-se. Mereceria talvez ele e os oito outros mortos envolvidos no caso, exumação e investigação séria.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *