Início » Brasil » Comissão do Senado vota reforma trabalhista nesta terça
TESTE DE FORÇA

Comissão do Senado vota reforma trabalhista nesta terça

Votação servirá para medir a força política do governo no Congresso após o escândalo da JBS

Comissão do Senado vota reforma trabalhista nesta terça
Meta do governo é aprovar o texto na comissão o mais rápido possível (Foto: Agência Senado)

Abalado por escândalos de corrupção, o governo do presidente Michel Temer será submetido a um teste de força política nesta terça-feira, 30, na votação da reforma trabalhista pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

A meta do governo é aprovar o texto na comissão o mais rápido possível e levar o projeto para votação em plenário ainda esta semana. Para isso, o governo cogita selar um acordo com líderes de bancadas da Casa para que seja votado e aprovado um requerimento de urgência para a votação da reforma.

O plano é complexo, já que o próprio presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), é a favor de manter o cronograma original da votação. No entanto, o Planalto pretende arriscar a estratégia, pois crê ser necessário dar um sinal robusto de avanço ao mercado após a crise gerada pela delação da JBS.

O Planalto tem como trunfo um acordo selado no início deste mês entre o governo e a oposição, que determinava que a reforma seria votada por três comissões, dando assim um trâmite mais lento e mais debatido à proposta no Senado. A previsão era de que a reforma iria a julgamento na segunda quinzena de junho.

O governo argumentará que partidos de oposição, como PT, PCdoB e Rede, descumpriram este acordo ao impedir a leitura do relatório do projeto em uma sessão da semana passada. Nela, os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Ataídes Oliveira (PSDB-TO) tiveram uma agressiva discussão após a oposição tentar, sem sucesso, impedir a leitura do relatório.

A aposta do governo é alimentar o embate com esses partidos, para reforçar o argumento de quebra de acordo, abrindo caminho para levar o texto ao plenário o mais rápido possível. O responsável pela articulação do plano é Romero Jucá (PMDB-RR), o líder do governo no Senado.

Fator Renan

Um parlamentar que pode complicar os planos do governo é Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado. Renan vem atuando como oposição desde que deixou a presidência do Senado para assumir o posto de líder do partido na Casa. Ele já articulou votação contrária aos principais projetos do governo, como a lei de terceirização e atualmente trabalha para impedir a aprovação das reformas trabalhista e da Previdência.

Parlamentares peemedebistas fiéis a Temer articulam para destituir Renan da liderança do partido. No momento, 14 senadores planejam votar contra a orientação de Renan em propostas enviadas ao Congresso pelo Planalto. O número seria o bastante para que haja troca de comando no partido.

Cada vez mais isolados dentro do PMDB, Renan conta com poucos aliados. Um deles é Eduardo Braga (PMDB-AM), que há duas semanas tentou segurar Renan no cargo realizando um abaixo-assinado em apoio ao senador. A tentativa foi em vão, pois faltou adesão. Na semana passada, peemedebistas tentaram convencer Renan a ceder e afinar o discurso com o Planalto. A tentativa também foi em vão. Renan respondeu que “não está disposto a aceitar canga”, em referência às cangalhas usadas nos animais de carga.

Fontes:
Folha-Governo quer mostrar força e votar reforma trabalhista nesta semana
Congresso em Foco-Senadores do PMDB se reúnem para tentar destituir Renan da liderança

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. laercio disse:

    Vejam, discussões diversas em objetivando a queda de força em desfavor do que realmente se faz necessário para o país!

    Fica claro entender porque as coisas não evoluem no Brasil.

    Não há uma atenção para nação em si mas muitos combates são travado realizados para se ter poder!

    Esta é a síntese de nossa constituição legal, meia dúzia brigando por poder; foi assim nos últimos trinta anos e, como resultado… Bom, basta dar uma verificada nos jornais…

    Estamos de frente a pessoas e legislação aonde nada funciona e ainda temos o legado de viver num país com condições infernais onde sua vida pode ser decidida por um menor em alguns segundos…

    Como mudar?
    Divulgando esses modelos de comentários em massa para acordar o trabalhador escravo desfavorecido (povo)…

    Um dia quando o povo começar acordar ele perceberá que deve cobrar dos meios de comunicação sua entrada na briga, assim as vozes chegam num grau de importância aonde as coisas sérias começarão a ser votadas, dentre elas uma constituição que seja favorável a nação mas não com milhares de saídas para recursos diversos a favor de quem pagar mais…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *