Início » Brasil » Ponte que liga Brasil e Guiana Francesa nunca foi inaugurada
PROJETO SEM USO

Ponte que liga Brasil e Guiana Francesa nunca foi inaugurada

Concluída há quatro anos para aumentar a integração entre Brasil e França, ponte expõe a dificuldade brasileira para concluir projetos

Ponte que liga Brasil e Guiana Francesa nunca foi inaugurada
Ponte teve um custo total de US$ 33 milhões (Foto: Ministério dos Transportes)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em 1997, os presidentes do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, e da França, Jacques Chirac, anunciaram a construção de uma ponte para ligar o Brasil à Guiana francesa, território ultramarino francês na América do Sul. A ponte conecta o estado do Amapá à comuna franco-guianense São Jorge do Oiapoque.

O projeto tinha como objetivo promover o desenvolvimento econômico no Amapá e gerar novas oportunidades de negócios para empresas francesas e brasileiras. Os dois países concordaram em dividir os custos do projeto, orçado em US$ 33 milhões.

A iniciativa também visava aproximar a Guiana Francesa do continente sul-americano, o qual habita, porém, ignora. Isso porque o território é totalmente voltado para a Europa. O euro é a moeda local, leis da União Europeia regulam produtos do país, como os alimentos, e os moradores locais elegem membros para o parlamento francês.

No entanto, o que era para ser um símbolo da cooperação bilateral, acabou se tornando uma prova concreta das dificuldades do Brasil em concluir projetos. A ponte teve as obras concluídas há quatro anos, mas nunca foi inaugurada. Inutilizada, ela já começa a apresentar o desgaste da ação do tempo. Entre os motivos para a não inauguração está o conhecido atraso brasileiro.

O lado francês já está todo concluído, com postos de controle e estradas que ligam a saída da ponte em São Jorge do Oiapoque até a capital Caiena. Já o lado brasileiro ainda não terminou de pavimentar os 579 km da rodovia que vai ligar a saída da ponte até Macapá. O Brasil só concluiu recentemente os postos de controle, mas ainda não os equipou com computadores e outros dispositivos necessários.

“Podemos inaugurar a ponte amanhã, se enviarem equipes e concluírem os trabalhos”, disse o prefeito da Guiana Francesa, Eric Spitz, em entrevista ao New York Times. Em outubro deste ano, em encontro com representantes brasileiros do projeto, Spitz obteve a garantia de que o Brasil concluiria sua parte antes das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Outro ponto que atrapalha a inauguração da ponte é a questão do visto. Embora, o Brasil faça fronteira com a Guiana Francesa, cidadãos brasileiros precisam de visto para entrar no território. Os brasileiros se queixam do alto valor para a emissão do documento e acabam trocando a ida à Guiana Francesa por passagens para a Europa.

Fontes:
The New York Times-Linking Brazil to French Guiana, a Bridge for No One

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    A maior renda da cidade de Oiapoque provem dos franceses que gastam seus euros em hotéis, cervejas e mulheres.
    Uma curiosidade: o costume que amapaenses e paraenses tem de chamar as meninas de “filé” (difundido pela banda calipso), vem dos franceses da Guiana, que as chamam de “fille” (fille de joie) que é pejorativo, mas elas não sabem.

  2. Rogerio Faria disse:

    O governo está com medo da saída de brasileiros para o lado francês. Com essa crise não sei não?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *