article image
Polícia Militar já está presente nas praias, mas promete aumentar o efetivo (Reprodução/Internet)
Rio de Janeiro

Consulado americano alerta turistas sobre violência no Rio

Depois de casos de arrastão em praias da Zona Sul da cidade, governo dos EUA manda carta a turistas com dicas sobre zonas de risco e como evitar um ataque

fonte | A A A

Na última sexta feira, 22, o Consulado dos EUA expediu uma carta alertando sobre o aumento da violência no Rio de Janeiro. No documento, os turistas são informados sobre os arrastões que aconteceram nas últimas semanas, no Leblon e em Ipanema, praias da Zona Sul, que contam com grande concentração de turistas.

Leia mais: Endurecimento: Core e Batalhão de Choque presentes nas praias

O consulado explica que os crimes contra turistas são mais comuns ao redor das praias, bares e clubes, além de alertar sobre assaltos dentro dos ônibus locais. Feriados e finais de semana são períodos com maior índice de crimes, e a carta explica que durante o período de férias os turistas ficam mais suscetíveis a ataques e devem ser cuidadosos, deixando o passaporte original no hotel e tomando cuidados ao usar o celular.

Turistas são considerados alvo fácil

Americanos ou não, os turistas que estão no Rio de Janeiro já sentem na pele o aumento da criminalidade. Há relatos frequentes sobre casos de violência contra o turista, inclusive com reclamações sobre a ação dos policiais militares. Muitas vítimas dizem que os policiais parecem não se importar.

A Polícia Civil instalou uma delegacia móvel na praia do Arpoador, e um contingente militar de 600 homens foi acrescentado ao policiamento normal das praias. Outra estratégia para tentar evitar os arrastões é interceptar os ônibus que dão acesso aos bairros da Zona Sul.

Ano passado, em São Paulo, uma onda de assaltos a residências e restaurantes também assustou turistas e brasileiros, principalmente pelo despreparo das forças de segurança tão próximo da Copa do Mundo e das Olimpíadas.

A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, ligada ao Ministério da Justiça, tem um orçamento bilionário para tornar os grandes eventos seguros. A estimativa é que só o governo federal gaste R$ 1,17 bilhão com a segurança dos torneios da Fifa, e R$ 1,16 bilhão com os Jogos Olímpicos de 2016. Mesmo assim, a sensação de segurança não parece ser grande, deixando muito a desejar.

De volta ao topo comentários: (1)

Sua Opinião

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Estado

Cidade

  1. Honório Tonial disse:

    Causa espanto o silêncio sobre a falta de segurança no Brasil, divulgada ao mundo pela imprensa dos Estados Unidos.
    Será que o Governo Brasileiro não leu? Ou achou normal?
    Na véspera do Mundial de Futebol e das Universíades é mais um dos problemas que o visitante encontrará em nosso país.
    O ministério o Turismo e das Relações Exteriores deveriam encetar uma campanha nacional divulgando- nas escolas, nas redes sociais e na mídia escrita
    Ou será que mereceria a atenção do Congresso?
    O governo do PT e seus cooptados deveriam levar a sério esta grave questão.