Início » Brasil » Corregedor manda juiz devolver bens de Eike
Caso Eike

Corregedor manda juiz devolver bens de Eike

Magistrado terá de nomear novo depositário para carros e piano apreendidos. Corregedor diz que ato ‘mancha’ imagem do Judiciário

Corregedor manda juiz devolver bens de Eike
Juiz Flávio Roberto de Souza foi intimado pela Corregedoria Regional da Justiça Federal por ter guardado o carro no estacionamento do prédio onde mora (Reprodução/IG)

Depois do juiz titular da 3ª Vara Criminal Federal do Rio, Flávio Roberto de Souza, ter sido flagrado dirigindo o Porsche de Eike Batista, ele foi intimado pela Corregedoria Regional da Justiça Federal por ter guardado o carro no estacionamento do prédio onde mora, na zona oeste do Rio. Além do Porsche, um Toyota, uma Range Rover e um piano estão no edifício do magistrado. Para corrigir o ato, ele deverá nomear um depositário, que poderá ser uma “entidade idônea” ou o próprio Eike.

Após os episódios polêmicos, o Ministério Público voltou atrás e se posicionou a favor do afastamento do juiz das ações penais contra Eike. Além disso, o MPF recomendou a anulação de todas as decisões do magistrado nos dois processos atuais contra Eike, como o bloqueio de R$ 3 bilhões em bens do empresário e de seus familiares.

De acordo com o corregedor regional da Justiça Federal, o desembargador Guilherme Couto de Castro, nenhum carro apreendido pode ser mantido na garagem de juízes. “Não há qualquer cabimento em depositar bens no edifício particular do próprio magistrado, fato embaraçoso, apto a gerar confusão e manchar a imagem do Poder Judiciário”, disse em comunicado do Tribunal Regional Federal. Souza, por sua vez, disse na última terça-feira, 24, ao Estado de S. Paulo que levou o veículo para a garagem do seu prédio por não encontrar vagas em boas condições nem no pátio da Justiça Federal nem no depósito da Polícia Federal. Segundo o juiz, não há nada de irregular nisso.

Na última segunda-feira, 23, a corregedoria já havia instaurado uma sindicância para apurar a conduta de Souza. O juiz terá cinco dias para prestar informações. Depois disso, o caso vai para o plenário do TRF, que vai decidir se abre ou não um processo administrativo disciplinar. O prazo para a conclusão do processo é de até 140 dias, mas pode ser prorrogado.

Fontes:
Estado de S. Paulo-Corregedor manda juiz devolver bens de Eike e diz que ato 'mancha' imagem do Judiciário

3 Opiniões

  1. Marluizo Pires Cruz disse:

    O titulo desta noticia torna-se atualíssima esta frase, “Quando estávamos prendendo pobre eles estavam achando ótimo agora que estamos prendendo rico eles mandam maneirar eu não vou parar” proferida num passado recente por um representante do Estado instituído. Mas parou ele foi substituído. Prevalecendo nestes acontecimentos o dito popular de que, machado cego não derruba pau grande.

  2. Jorge Armani disse:

    É mais comum do que se pensa os oficiais de justiça e juízes levarem automóveis arrestados ou penhorados para suas garagens, a farra foi denunciada porque o executado é famoso.

  3. Revoltado disse:

    esse cara é doente, está na cara a condição psiquiátrica dele, olhem o olhar do sujeito!! internaaaaaa

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *